Destaques

Notícias

Trujillo comenta falta de contribuição de Hammett no Hardwired

   26 de Dezembro de 2016     tags: entrevista, trujillo, hardwired to self destruct      Comentários

A Metal XS da França realizou uma entrevista com o baixista do Metallica, Robert Trujillo. Assista a conversa abaixo, e alguns trechos traduzidos podem ser lidos a seguir.

Sobre a falta de contribuição de Kirk Hammett, guitarrista do Metallica, no novo álbum da banda, "Hardwired... To Self-Destruct":

Trujillo: "Bem, sabe, em qualquer banda, qualquer relacionamento em sua vida, haverão momentos de tensão. Eu acho que a coisa legal desta banda e onde estamos agora é que aprendemos a nos comunicar melhor, e isso é importante. É meio que, para mim e minha posição, eu estou com Lars [Ulrich, bateria] e James [Hetfield, guitarra/vocal] noventa porcento do tempo quando estamos tocando desta vez, quando estamos fazendo jams, e é ótimo. É uma honra estar lá para mim, pois eu aprendo com cada situação, e eu aprendi muito com o Lars e o James, então eu sou parte da energia. Sabe, se é idéia do James, está tudo bem, se é idéia do Kirk, o que for, está tudo bem também, se é minha ou o que for, mas eu sempre estou lá para apoiar a música. E eu acho que estou lá para prover uma fundação para a idéia do James com a bateria, como baixista, o que é importante para o que fazemos agora. Todos nós vivemos em lugares diferentes - não estamos mais morando na mesma cidade - então não é sempre fácil. Kirk está... Muitas vezes ele está no Havaí, e todo mundo está em locais diferentes. Eu acho que no fim, quando você ouve um solo de guitarra do Kirk, é o Kirk - é sua personalidade, sua afirmação, e há magia nisso. Nós todos somos individualmente meio que músicos únicos, então aquela magia ainda está na música, não importa quem a escreveu. Então eu sempre penso comigo mesmo, mesmo que não seja uma idéia do Kirk, ou uma idéia do Robert Trujillo, ou se é uma idéia do Hetfield, não tem erro, primeiro de tudo, pois será um ótimo riff. James é um grande escritor de riffs - está provado - mas nosso trabalho é realmente honrar a música e a idéia e dar o melhor que podemos com isso. Já me perguntaram: 'Oh, não há tantas idéias vindas do Kirk', ou o que for, mas sua presença está lá, e o espírito do que ele faz está sempre lá, por causa de seus solos de guitarra, ou o meu baixo, ou o que for. Então ainda somos uma parte das músicas."

Sobre a dinâmica entre Lars e James:

Trujillo: "Há muita energia entre Lars e James, e algumas vezes essa energia pode estourar. Eu sei que antes de eu estar na banda, Kirk era o cara que geralmente estava no meio, e foi importante naquela época. E agora eu sinto que algumas vezes eu sou o cara no meio, não apenas entre James e Lars, mas até entre o Kirk. Eu sinto, na minha vida, em qualquer situação que estive, eu sempre meio que estive no meio. Com o Suicidal Tendencies, haviam muitas personalidades intensas, e você tinha que descobrir como balancear cada cara e onde eles estavam com seu humor, ou o que for que estivesse rolando. Com o Ozzy [Osbourne], havia muita energia intensa também, pois ele estava lutando contra vários demônios. E algumas vezes você tem uma sessão de composição, e ele não aparece e, claro, você fica bravo, ou fica frustrado, mas precisa manter calmo - ele é o chefe, entende o que eu quero dizer? Então haviam muitas personalidades em qualquer uma dessas situações que você precisa balancear. No Metallica, eu acho que é importante que haja... Seja eu mesmo ou Greg Fidelman, nosso produtor... Ele é ótimo para isso, pois ele entende a personalidade de todo mundo. E então tem os cronogramas, e todas essas coisas relacionadas, que podem causar frustrações em fazer um disco, especialmente para o produtor. Então o Greg Fidelman também é um ótimo meio para balancear. Mas é realmente importante ter isso com Lars e James. Como eu disse, eu sou como Joe Walsh no Eagles. Joe Walsh é alguém que... Ele é um compositor, obviamente, ele é um cantor-compositor, mas no final, quando tem a ver com o Eagles, ele está lá para tocar guitarra e ele está lá para prover o que for preciso para a banda, e é isso que eu sinto com o Metallica. Robert Trujillo no Metallica deve atender a música e realmente cuidar do Lars e James e Kirk."


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net


Veja também

Trujillo: Créditos nas músicas não são grande coisa (20 de novembro de 2016)
Trujillo fala sobre sua relação com Ulrich (24 de setembro de 2016)
Trujillo descreve Hetfield, Ulrich e Hammett (22 de setembro de 2014)
Trujillo: Pior riff de Hetfield seria o melhor de outra banda (31 de maio de 2013)
Trujillo sobre o novo álbum: "A atitude e o jeito da old-school estão lá" (09 de julho de 2007)

Comentários




Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2020 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade