Destaques

Notícias

Hetfield diz que coisas da vida impediram Hammett de se envolver na composição do Hardwired

   06 de janeiro de 2017     tags: entrevista, hetfield, hardwired to self destruct      Comentários



Em uma nova entrevista para a rádio Planet Rock do Reino Unido, o frontman do Metallica, James Hetfield, falou sobre a falta de contribuição do guitarrista Kirk Hammett no novo álbum da banda, "Hardwired... To Self-Destruct". Perguntado se é verdade que Hammett perdeu seu telefone com centenas de idéias de riffs para o sucessor do "Death Magnetic" de 2008, Hetfield disse: "Eu não sei. Isso é o que ele nos conta [risos], então eu considero como verdade. Não, ele submeteu alguns riffs. Digo, não 'submeteu'... Todos nós juntamos nossas idéias, e elas estão na grande pilha de riffs do Metallica, e Lars [Ulrich, baterista do Metallica] é o cara - já que ele não está escrevendo nenhum dos riffs - ele passa por eles e ele é capaz de identificá-los. Ele tem um ótimo ouvido para riffs, e ele ouvirá coisas que eu não ouço. Eu acho, 'Ei, este riff é ótimo', e 'Sim, mas e essa parte deste aqui?'. E ele dirá 'Nah, não é tão bom'. E, 'Vamos pegar este...'. Ele não é um guitarrista, então é uma abordagem não ortodoxa de escolher riffs, o que é ótimo."

Ele continuou: "Mas sobre o Kirk... Kirk não estava presente no estúdio. Ele estava lidando com a vida. Ele tinha muitas coisas da vida rolando, que ele escolherá falar a respeito se quiser. Mas, sabe, foi Lars e eu guiando o navio como usual, passando pelos riffs, criando as músicas. E eu tive que fazer muitas coisas de guitarra que não fiz na época do 'Death Magnetic' e 'St. Anger' - algumas das coisas de harmonia de guitarra, harmonia de vocais... Sabe, um pouco mais de camadas, como no Black Album."

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hetfield: "Música é uma terapia para mim"

   04 de janeiro de 2017     tags: entrevista, hetfield, vídeos, hardwired to self destruct      Comentários

A revista Bild da Alemanha realizou uma entrevista com o frontman do Metallica, James Hetfield, em 17 de Novembro em Berlim. A conversa pode ser assistida abaixo e alguns trechos traduzidos podem ser lidos a seguir.

Sobre o que mantém o Metallica motivado a tocar música e fazer turnê ao redor do mundo:

Hetfield: "Nós somos quatro indivíduos com abordagens bem diferentes de vida e filosofias e tudo mais. Nós temos nossas próprias famílias, nós temos nossas próprias vidas, mas quando nos juntamos, nós sabemos que, nossa, o Metallica é uma parte realmente importante de nossas vidas e das vidas de outras pessoas. Nós precisamos dele. Cuidar do Metallica é o que precisamos fazer. E se alguém não está se sentindo particularmente inspirado, então os outros três entram em ação e concluem isso, e então eventualmente aparece de novo. Então é uma família... É feliz e triste e tudo mais. Digo, é brutal. Há tensão, há amor, há ódio, há tudo isso. Sim, é uma família de irmãos."

Sobre os temas das letras do último álbum do Metallica, "Hardwired... To Self-Destruct":

Hetfield: "Há momentos em que estou feliz; há momentos em que não estou tão feliz. Eu acho que sou humano a maior parte do tempo. A música é uma terapia para mim. Eu preciso escrever letras, eu preciso colocar os pensamentos loucos da minha cabeça no papel, e as outras pessoas leem e dizem, 'Uau! Eu entendo isso'. Então me faz sentir bem. Eu tento me sentir bem a maior parte do tempo. Mas é uma visão cínica, eu diria, na maior parte deste disco, sobre a humanidade. Quem você pensa que é, sabe? Estar neste planeta por este tempo [coloca os dois dedos próximos um do outro] na história do universo, você acha que tem algum controle sobre o que está acontecendo no mundo ou neste planeta? Então eu acho que é um visão pessimista, mas no final... Eu sempre começo pessimista e termino otimista de alguma forma. [Risos]"


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Trujillo comenta falta de contribuição de Hammett no Hardwired

   26 de dezembro de 2016     tags: entrevista, trujillo, hardwired to self destruct      Comentários

A Metal XS da França realizou uma entrevista com o baixista do Metallica, Robert Trujillo. Assista a conversa abaixo, e alguns trechos traduzidos podem ser lidos a seguir.

Sobre a falta de contribuição de Kirk Hammett, guitarrista do Metallica, no novo álbum da banda, "Hardwired... To Self-Destruct":

Trujillo: "Bem, sabe, em qualquer banda, qualquer relacionamento em sua vida, haverão momentos de tensão. Eu acho que a coisa legal desta banda e onde estamos agora é que aprendemos a nos comunicar melhor, e isso é importante. É meio que, para mim e minha posição, eu estou com Lars [Ulrich, bateria] e James [Hetfield, guitarra/vocal] noventa porcento do tempo quando estamos tocando desta vez, quando estamos fazendo jams, e é ótimo. É uma honra estar lá para mim, pois eu aprendo com cada situação, e eu aprendi muito com o Lars e o James, então eu sou parte da energia. Sabe, se é idéia do James, está tudo bem, se é idéia do Kirk, o que for, está tudo bem também, se é minha ou o que for, mas eu sempre estou lá para apoiar a música. E eu acho que estou lá para prover uma fundação para a idéia do James com a bateria, como baixista, o que é importante para o que fazemos agora. Todos nós vivemos em lugares diferentes - não estamos mais morando na mesma cidade - então não é sempre fácil. Kirk está... Muitas vezes ele está no Havaí, e todo mundo está em locais diferentes. Eu acho que no fim, quando você ouve um solo de guitarra do Kirk, é o Kirk - é sua personalidade, sua afirmação, e há magia nisso. Nós todos somos individualmente meio que músicos únicos, então aquela magia ainda está na música, não importa quem a escreveu. Então eu sempre penso comigo mesmo, mesmo que não seja uma idéia do Kirk, ou uma idéia do Robert Trujillo, ou se é uma idéia do Hetfield, não tem erro, primeiro de tudo, pois será um ótimo riff. James é um grande escritor de riffs - está provado - mas nosso trabalho é realmente honrar a música e a idéia e dar o melhor que podemos com isso. Já me perguntaram: 'Oh, não há tantas idéias vindas do Kirk', ou o que for, mas sua presença está lá, e o espírito do que ele faz está sempre lá, por causa de seus solos de guitarra, ou o meu baixo, ou o que for. Então ainda somos uma parte das músicas."

Sobre a dinâmica entre Lars e James:

Trujillo: "Há muita energia entre Lars e James, e algumas vezes essa energia pode estourar. Eu sei que antes de eu estar na banda, Kirk era o cara que geralmente estava no meio, e foi importante naquela época. E agora eu sinto que algumas vezes eu sou o cara no meio, não apenas entre James e Lars, mas até entre o Kirk. Eu sinto, na minha vida, em qualquer situação que estive, eu sempre meio que estive no meio. Com o Suicidal Tendencies, haviam muitas personalidades intensas, e você tinha que descobrir como balancear cada cara e onde eles estavam com seu humor, ou o que for que estivesse rolando. Com o Ozzy [Osbourne], havia muita energia intensa também, pois ele estava lutando contra vários demônios. E algumas vezes você tem uma sessão de composição, e ele não aparece e, claro, você fica bravo, ou fica frustrado, mas precisa manter calmo - ele é o chefe, entende o que eu quero dizer? Então haviam muitas personalidades em qualquer uma dessas situações que você precisa balancear. No Metallica, eu acho que é importante que haja... Seja eu mesmo ou Greg Fidelman, nosso produtor... Ele é ótimo para isso, pois ele entende a personalidade de todo mundo. E então tem os cronogramas, e todas essas coisas relacionadas, que podem causar frustrações em fazer um disco, especialmente para o produtor. Então o Greg Fidelman também é um ótimo meio para balancear. Mas é realmente importante ter isso com Lars e James. Como eu disse, eu sou como Joe Walsh no Eagles. Joe Walsh é alguém que... Ele é um compositor, obviamente, ele é um cantor-compositor, mas no final, quando tem a ver com o Eagles, ele está lá para tocar guitarra e ele está lá para prover o que for preciso para a banda, e é isso que eu sinto com o Metallica. Robert Trujillo no Metallica deve atender a música e realmente cuidar do Lars e James e Kirk."


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hetfield: Ainda não fizemos o nosso melhor disco

   26 de dezembro de 2016     tags: entrevista, hetfield, hardwired to self destruct      Comentários



Em conversa com a rádio Alfa 91.3 FM do México, James Hetfield falou sobre a inspiração para o novo álbum do Metallica, "Hardwired... To Self-Destruct":

"Sempre tentamos fazer o melhor disco, é algo natural, que está na gente. Ainda não fizemos o nosso melhor disco, quando vamos fazer eu não sei. Sempre seguimos em frente, criando coisas novas. Há bandas que apenas tocam seus sucessos e estão bem com o lugar que conquistaram ao sol. Não é o nosso caso; somos artistas e adoramos criar coisas novas. Para nós é tão vital quanto respirar - sempre precisamos disto. Então é fantástico quando lançamos material novo e as pessoas ainda por cima gostam."

Fonte: Whiplash!

    Top

Hetfield revela sua música favorita do Hardwired

   20 de dezembro de 2016     tags: entrevista, hetfield, vídeos, hardwired to self destruct      Comentários

O frontman do Metallica, James Hetfield, foi entrevistado pelo site Deezer para discutir o novo álbum da banda, "Hardwired... To Self-Destruct". Na conversa, ele revelou que o disco novo foi tranquilo de ser feito, apesar do tempo que levou para ser concluído, chamando o processo de "confortável" e "fácil". Ele também destaca a música "Dream No More" como sua favorita do álbum.



Fonte (em inglês): Bravewords.com

    Top

Assista vídeo com os bastidores do clipe de Am I Savage?

   19 de dezembro de 2016     tags: hardwired to self destruct, vídeos      Comentários

O canal oficial do Metallica no YouTube disponibilizou um vídeo com os bastidores da gravação do clipe de "Am I Savage?". Confira abaixo.


    Top

Resultado concurso cultural Hardwired... To Self-Destruct

   15 de dezembro de 2016     tags: metallica remains, hardwired to self destruct      Comentários



Confira abaixo os nomes dos ganhadores do nosso concurso cultural "Hardwired... To Self-Destruct", promovido pelo Metallica Remains em parceria com a Universal Music do Brasil:

- Everton de Campos - Tatuí-SP
- Jack Alves - Rio de Janeiro-RJ

Por favor, verifiquem seus e-mails para as instruções sobre como receber seus prêmios. Caso não tenham recebido o e-mail, envie uma mensagem para metalremains@terra.com.br para verificarmos o que houve.

Obrigado a todos pela participação e parabéns aos ganhadores!

    Top

Criador da capa do Hardwired diz que similaridades com capa do Crowbar são coincidências

   14 de dezembro de 2016     tags: crowbar, hardwired to self destruct      Comentários



Dimitri Scheblanov da Herring & Herring, um dos diretores criativos e fotógrafos do álbum "Hardwired... To Self-Destruct", negou ter sido influenciado pela capa do disco "Odd Fellows Rest" do Crowbar ao fazer o design do disco do Metallica.

Embora ambas as capas tenham quatro membros da banda com suas imagens sobrepostas em uma face estilo hidra, com uma pessoa na esquerda com a língua de fora, Scheblanov disse que as similaridades "definitivamente não foram intencionais". Ele disse a revista Decibel: "Eu acho que embora o visual possa ser meio similar, eu acho que a intenção por trás disso provavelmente foi bem diferente para gente e também para a Turner Duckworth, a agência de design [que trabalhou na capa]. Eu acho que gosto da capa do Crowbar [risos]; não há nada de errado nela ou algo assim. Mas, sim, foi bem chocante que havia uma coisa tão parecida. Mas eu nunca tinha ouvido falar da banda ou sua música, então também foi interessante que ela era outra banda de metal."

Ele continuou: "Eu vou te dizer a graça disso: na terça-feira a capa do disco saiu,então eu acho que na sexta-feira ou sábado fomos até Minneapolis para ver o Metallica tocar, pois eles estavam projetando as fotos no telão [do show]. Então depois quando estávamos na confraternização pós-show com a banda, estávamos falando com os empresários e com alguns dos caras da banda, e falando sobre todos os comentários diferentes que recebemos desde que a arte do álbum saiu. Alguém falou da coisa do Crowbar. A parte engraçada foi que todo mundo estava, 'quem diabos é Crowbar?'. Isso fez parecer um pouco melhor, pois estávamos meio que em choque, mas por outras pessoas de dentro da comunidade não saber realmente quem eles eram, nós achamos que não era grande coisa, que não era uma coisa muito conhecida onde a maioria das pessoas pensaria que foi algum tipo de plágio. Então de primeira estávamos realmente em choque, mas ao ouvir que eles eram meio que uma banda menor, nós definitivamente nos sentimos melhores sobre isso, já que seria muito ruim se as pessoas achassem que estávamos tentando roubar alguém."

Perguntado sobre quais eram as chances de ambas as capas contar com o rosto da esquerda com a língua de fora, Scheblanov disse: "Essa é a coisa; é bem louco. Quando começamos a trabalhar no projeto e estávamos fazendo estas capas em Agosto, havia na verdade cerca de nove combinações diferentes, há a capa do vinil e a capa do vinil deluxe, há um monte delas. Originalmente, haviam nove, e a banda apenas escolheu uma dessas nove para ser a capa de fato, e foi essa. É estranho. É definitivamente tipo, uau. Mas é uma daquelas coisas que é uma estranha coincidência, ou eu eu não sei como chamar isso. Eu não sei como exatamente acabou nisso, tipo... Sim, eu acho que a coisa da língua é bem interessante. Mas nós demos 400 imagens no final para a Turner Duckworth e eles provavelmente viram as silhuetas mais interessantes.

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Veja bastidores do clipe de Now That We're Dead

   13 de dezembro de 2016     tags: vídeos, hardwired to self destruct      Comentários

O canal oficial do Metallica no YouTube disponibilizou um vídeo com o making of do clipe da música "Now That We're Dead", que faz parte do novo disco da banda, "Hardwired... To Self-Destruct". Confira abaixo.


    Top

Hetfield: Riffs de Hammett não estavam lá durante composição do Hardwired... To Self-Destruct

   13 de dezembro de 2016     tags: entrevista, hetfield, hardwired to self destruct      Comentários



James Hetfield disse que o Kirk Hammett "não se envolveu" no processo de composição do novo álbum do Metallica, pois seus "riffs não estavam lá".

Hammett assinou várias ótimas partes instrumentais durante os anos para o Metallica, junto do time de composição de Hetfield e o baterista Lars Ulrich, mas este não foi o caso no "Hardwired... To Self-Destruct".

Hetfield disse ao Metal XS da França: "Kirk não participou da composição. Kirk obviamente veio e fez os solos. Mas Lars e eu... Sabe, Lars e eu sempre fizemos isso, mas com as contribuições de outras pessoas com seus riffs e coisas do tipo. Os riffs de Kirk não estavam lá. Eu sei que ele fala sobre ter perdido seu iPhone e coisas assim com os riffs, mas... Não, ele não estava envolvido no processo. E Robert [Trujillo, baixo] estava lá. A introdução de 'ManUNkind' é do Robert; isso é ele, e é belo. Mas somos Lars e eu fazendo o que sempre fazemos - montando as músicas."

Hetfield também deu mais detalhes sobre o processo de composição do "Hardwired... To Self-Destruct', explicando: "[As músicas] foram montadas durante um período de tempo - eu diria talvez um ano e meio. Mas os riffs... Digo, os riffs existiam por um pouco mais de tempo. Mas não há... Digo, é tudo novo. Não há nada que foi sobra de outros álbuns ou algo assim, então é tudo novo. Alguns são riffs que estavam na minha coleção de riffs, e alguns eram, 'Vamos apenas ir lá e tocar', e alguns apenas surgiram lá. Então alguns são super novos, e alguns são, obviamente, do ano passado."

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top


  Próximas >>>

Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2017 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade