Destaques

Notícias

Trujillo relembra sua audição para o Metallica

   03 de Janeiro de 2016     tags: trujillo, entrevista      Comentários


Robert Trujillo falou com o podcast "WTF With Marc Maron" sobre sua audição em 2003 para substituir o baixista do Metallica, Jason Newsted, como capturado no documentário "Some Kind of Monster" de 2004. Ele disse: "Foi um dia bem surreal para mim. Mas quando você tem uma chance dessas, é tão... Estranho. Sério, estranho é a palavra. Pois eu me lembro de ir lá. Cheguei atrasado. Eu sempre me atrasava naquela época."

Ele continuou: "Vou te contar uma breve história sobre a audição. Basicamente, foi uma audição de dois dias. No primeiro dia, eu estava lá meio que só para observar. O [produtor] Bob Rock estava lá. O baixo [do álbum 'St. Anger' do Metallica] já tinha sido gravado; Bob Rock gravou o baixo. Então eu estava só lá. E Lars [Ulrich, baterista do Metallica] e James [Hetfield, frontman do Metallica] e Kirk [Hammett, guitarrista do Metallica] meio que vivem nesta bolha. Eles estavam, tipo, 'sim, sinta-se em casa. Só relaxe'. E eu estava meio que só relaxando neste grande prédio no norte [da Bay Area]. E eu estou meio perdido, pois ninguém está realmente se comunicando comigo, e eu estou apenas lá. E, certo. Então [eles me dizem], 'venha para a sala de controle', e eu estou apenas lá. Eles estão finalizando as músicas. E foi isso; só relaxar. Chega onze horas da noite, e Lars... Nós estamos no estacionamento. Somos os últimos a sair. E Lars diz, 'Ei, cara, vamos tomar umas bebidas. Vamos fechar a noite'. Então eu estou, tipo, 'tudo bem'. E nós vamos para o primeiro bar, tomamos algumas bebidas, vamos ao segundo bar, tomamos mais algumas, vamos ao terceiro bar. E então acabamos na casa dele para mais bebidas. Mas nessa hora, já são cinco da manhã. Eu não posso nem dirigir para onde estava ficando; é impossível. E então ele diz, 'aqui, durma no meu quarto de hóspedes'. Então, as nove da manhã, quatro horas mais tarde, ele está na esteira, este cara, e é como se ele não me conhecesse mais. Ele já está sóbrio. E ele está na esteira. E eu tenho esta dor de cabeça terrível. E então ele, tipo, 'Tá certo. Vamos. Vamos para o estúdio'. E eu estou dirigindo atrás dele. Eu não conseguia nem manter meus olhos abertos. Eu chego ao estúdio."

Ele prossegue: "Isto é quando [os membros do Metallica] estavam passando por esse negócio meio de terapia, com este cara Phil Towle, que era... Como eles chamam isso? Meio que coach da vida, meio que um motivador, o que era, na época, eu acho, bom para a banda, mas eu não estava acostumado com isso. Aqui estou eu com uma dor de cabeça horrível. James tinha acabado de passar por toda essa coisa onde, claro, ele está sóbrio, e a última pessoa que ele queria ver perto da banda era um mexicano bêbado. Esse seria eu. Então estou sentado na mesa, eu tenho a pior dor de cabeça, estou completamente de ressaca. E estou pensando, 'Lars fez isto comigo, pois estava me conferindo, para ver se eu podia sair com ele'. Era um teste; tinha que ser. Ele é um viking, de verdade. Eu ia ao banheiro, jogava água na cara, me estapeava, falando, 'Oh, cara, você precisa... Aguente aí. Aguente aí'. Pois eu realmente queria dizer, 'Eu não consigo fazer isto agora, caras. Eu não me sinto bem. Eu realmente não posso fazer isso.'"

Trujillo completou: "Eu continuei. Eu sabia a técnica, a técnica do baixo, de quando o Suicidal Tendencies estava fazendo turnê com o Metallica, que seria em 1993, no 'Black Album'. Então, Zach Harmon, que ainda é hoje meu técnico de baixo. Eu não tinha um baixo, então [eu fui], 'Vamos pegar um baixo. Vamos escolher o setup do amplificador'. Então meio que usei isso como forma de sair dessa situação de ressaca."

Apesar de não estar em forma para tocar em seus padrões usuais, a audição foi notavelmente bem. "Nós tocamos 'Battery', e eu acho que isso me ajudou a não ficar nervoso", relembra ele. "E isso que você vê no filme, e todo mundo parece pensar foi bem cansativo. Fora isso, eu estava morto. Se desse para tocar, estava tudo bem. Mas me comunicar com Hetfield, pois ele viria e me faria perguntas, e eu respondia coisas bem bestas, pois, literalmente, eu não estava lá."

Ele completou: "Quando eu assisto o 'Some Kind of Monster', me vejo vestindo essa camiseta marrom da Armani, que eu nunca teria na minha vida. Sabe por que? Porque não era minha. Era do Lars. Sua esposa na época, Skylar, me deu aquela camiseta, pois a que eu estava vestindo, que provavelmente era bem desleixada, não rolava."


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net


Veja também

Trujillo sobre o novo álbum: "A atitude e o jeito da old-school estão lá" (09 de julho de 2007)
Trujillo comenta falta de contribuição de Hammett no Hardwired (26 de dezembro de 2016)
Entrevista de Trujillo para David Ellefson (22 de junho de 2015)
Trujillo conta como substituiu Jason Newsted (21 de janeiro de 2015)
Phil Towle: "Jason teve a coragem de se levantar frente ao Metallica" (30 de julho de 2004)

Comentários




Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2019 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade