Destaques

Notícias

Metallica toca dia 25 de Março no Lollapalooza Brasil

   19 de outubro de 2016     tags: brasil, lollapalooza brasil 2017, worldwired tour      Comentários



Como noticiado anteriormente, hoje a produção da edição brasileira do festival Lollapalooza divulgou quais artistas tocarão em cada um dos dias do evento que acontece em 25 e 26 de Março, no Autódromo de Interlagos em São Paulo.

O Metallica tocará no primeiro dia do Lollapalooza (dia 25 de Março) e o Lolla Day, ingresso que dá direito a somente um dia de festival, já está disponível para compra, com preço de R$540 (R$270, meia entrada) no primeiro lote. No segundo lote, os preços do Lolla Day serão alterados para R$590 a entrada inteira e R$295 a meia-entrada.

O Lolla Pass, ingresso que dá acesso aos dois dias do festival, também já se encontra disponível para a venda e pode ser adquirido clicando aqui. O preço do passe para os dois dias é de R$920 (inteira, lote 2), com meia entrada sendo vendida por R$460.

Vale lembrar também que o cronograma dos meet-and-greets para o show do Metallica no Lollapalooza está previsto para ser divulgado em Março. Os meet-and-greets são sorteados entre os membros do fã-clube via sistema de loteria e os passes são pessoais e intransferíveis. O cadastro no fã-clube é gratuito e pode ser feito no site oficial da banda, clicando aqui.

    Top

Vendas de ingressos por dia do Lollapalooza começam na quarta

   17 de outubro de 2016     tags: brasil, lollapalooza brasil 2017, worldwired tour      Comentários



Atualizado em 18/10: A informação original foi deletada do Twitter do Lollapalooza, e no Facebook do evento, agora consta que os Lolla Day serão vendidos a partir de quarta, as 11h, mesmo horário da liberação do lineup separado por dia. A notícia foi alterada para refletir essa mudança.

Como noticiado anteriormente, o Metallica tocará na edição 2017 do Lollapalooza Brasil, que acontece nos dias 25 e 26 de Março no Autódromo de Interlagos em São Paulo.

Embora o lineup tenha sido divulgado no final de Setembro, a produção do evento não havia informado quais artistas tocariam em cada dia do festival. No entanto, hoje foi anunciado que o lineup separado por dia será divulgado nesta quarta-feira, 19 de Outubro, as 11h.

As vendas do Lolla Day, ingresso que dá direito a somente um dia de festival, também começam nesta quarta-feira, dia 19 de Outubro, as 11h, com preço de R$540 (R$270, meia entrada) no primeiro lote. No segundo lote, os preços do Lolla Day serão alterados para R$590 a entrada inteira e R$295 a meia-entrada.

O Lolla Pass, ingresso que dá acesso aos dois dias do festival, já se encontra disponível para a venda e pode ser adquirido clicando aqui. O preço do passe para os dois dias é de R$920 (inteira, lote 2), com meia entrada sendo vendida por R$460.

    Top

Metallica confirmado no Lollapalooza Brasil

   28 de setembro de 2016     tags: brasil, lollapalooza brasil 2017, worldwired tour, santiago, buenos aires      Comentários



O lineup do Lollapalooza Brasil foi divulgado oficialmente hoje, e confirmou os boatos da presença do Metallica como uma das atrações principais do festival. O evento acontece nos dias 25 e 26 de Março de 2017 no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, e ainda não foram divulgados os dias em que cada artista se apresenta.

O Lolla Pass, ingresso que dá acesso aos dois dias do festival, já se encontra disponível para a venda e pode ser adquirido clicando aqui. O preço do passe para os dois dias é de R$920 (inteira, lote 2), com meia entrada sendo vendida por R$460.

Já o Lolla Day, ingresso que dá direito a somente um dia de festival, custará R$540 (R$270, meia entrada) no primeiro lote, porém ainda não teve a data de início de vendas divulgada. No segundo lote, os preços do Lolla Day serão alterados para R$590 a entrada inteira e R$295 a meia-entrada.

Além do Lollapalooza Brasil, o Metallica também será atração principal nas edições argentina e chilenas do festival.

    Top

Vídeo do Rio de Janeiro, Brasil

   20 de October de 2015     tags: vídeos, rock in rio 2015, summer tour 2015, brasil      Comentários

O canal oficial do Metallica no YouTube disponibilizou o vídeo oficial do show que a banda realizou em 19 de Setembro no Rock in Rio, Brasil. Confira abaixo.

    Top

Fã relata sua experiência de assistir show do palco

   21 de setembro de 2015     tags: rock in rio 2015, summer tour 2015, brasil      Comentários

Confira abaixo o depoimento que Daniel Gaz nos enviou, compartilhando a experiência que teve em assistir do palco a apresentação que o Metallica realizou no último dia 19 de Setembro, no Rock in Rio:

Bem, vamos direto ao assunto e depois eu melhor me apresento!

Nós, os sorteados e acompanhantes dos fãs sorteados, recebemos uma pulseira amarela "2015 Summer stage access" que liberava ao palco. Eu pessoalmente recebi da organização do evento Rock In Rio (conhecido meu) e acabei me encontrando com os fãs atrás do palco em uma longa fila de pessoas para entrar no palco. Parece que tinham ali cerca de 120 convidados!



Ficamos em torno de 40 minutos sentados um atrás do outro em fila, aguardando as primeiras instruções dos seguranças enquanto acabava o show do Mötley Crüe. Um segurança da banda veio até nós com um discurso de terror, que não poderíamos tocar nos integrantes, sair do local, beber água, ir no banheiro, fazer discurso político, etc. Mas na verdade o que me intrigou foi que ninguém foi revistado. Mas no geral eram cordiais. Mas, bem, a galera ansiosa na fila e admito que foi um momento super bacana, pois todos ali eram loucos pelo Metallica assim como eu, e fizemos amizade rapidamente.

Chega então a hora de subir as escadas ao palco. Sim, mesma entrada que os integrantes. E o terror rolou mais um pouco com 3 novas passagens de revistas das pulseiras amarelas. E entramos no palco sendo orientados pelo segurança americano da banda. Não deu para escolher muito o lugar no palco que ficaríamos, pois eles iam posicionando a gente na ordem da fila que estávamos.

Eu fiquei na frente, ao lado esquerdo da bateriaa, e sempre atrás do James (para quem está vendo da tv). E então a gente tem a primeira sensação de tocar no palco e ver os roadies trabalhando numa correria absurda. Achei tenso ali.

Começa então a abertura com "Ecstasy of Gold". E sim, meu coração que estava há 2 semanas ansioso dispara e começo a chorar. Não aguentei. Puta que pariu! Em questão de 2 minutos vou realizar talvez o maior sonho da minha vida.

E então você escuta o coro da galera da pista, em alto e bom som, e já saca quão bom vai ser este show e o público ali.

Me aparece o Robert ao nosso lado, dá uma olhada para nós e entra no palco seguido do James, com Fuel.



Ahhhh, como foi lindo ver a galera na pista pulando, e aquele som extremamente alto da bateria do Lars e guitarra da James. Ah, o som ali é excelente, porém a prioridade da guitarra era do James e mal escutamos os solos do mestre Kirk. E eu, como bom guitarrista solo, senti muita falta de escutar solos. Mas por outro lado achei muito louco escutar o show pelos ouvidos do James. Incrível!

Bem, eu me descontrolei no palco de uma maneira que fui chamado atenção pelo segurança [risos]. Em Battery, dá para ver um maluco atrás do James pirando. Sou eu! O segurança pediu educadamente para eu não pular mais. Mas, cá entre nós, eu estava já uns 10 minutos pulando e ensopado. Até precisava respirar [risos].

Vale ainda contar que o James interagiu conosco toda hora e parecia um tanto cansado, suado e feliz. Claro que a interrupção do som em "Ride the Lightning" quebrou um pouco o clima dele.

Detalhe que eles nunca saem do palco totalmente. Sempre ficaram ao lado do palco, onde o James trocava de camiseta a cada 4 músicas e tomava um líquido que parecia chá mate.

Numa destas trocas de roupa ele tira a munhequeira dele e joga para nós. SIM, EU PEGUEI!!! E coloquei no braço imediatamente. Podia estar mais feliz?

Olha, se eu era fã do James, agora sou ainda mais. Ele tem uma energia contagiante e uma presença indescritível. Já o Lars foi bem chatāo e apenas olhava para gente tentando se comunicar, mas nada parecia agradar ele. Eu pedi muito um gole daquele sempre misterioso copo de bebida e continuo sem saber o que ele bebe.

Ahh, e o gente finíssima do Robert? Cara show demais. Interagiu bem conosco e deu um "toquinho" em mim logo nas primeiras músicas. Bem, não demoraria muito para o James fazer duas vezes este contato comigo (este filmado pelo meu novo amigo Diego, também fãzaço que ficou o show todo ao meu lado com sua namorada).

Em relação ao palco que estávamos, ele tinha pedaços bem espremidos nesta primeira fila e mais dois degraus acima de nós, bem mais tranquilos de espaço. Até uma grávida estava lá! E todo tempo seguranças de ambos os lados observando cada movimento nosso. Mas nenhum incidente aconteceu.

Bem, e o Kirk? Ele não veio até nós, mas deu várias olhadas, risadas e um balançar da cabeça curtindo conosco. Quem ficou do lado dele foi prestigiado umas duas vezes em tocar na guitarra dele. Toooop!



Para terminar acho que vale comentar que o James e o Robert, ao final, nos trouxeram muitas e muitas palhetas. Deram parte na mão de cada um (eu peguei umas dez ou mais) e parte jogaram para o alto. Teve ainda as bolas pretas (Enter Sandman), que foram tranquilas para pegarmos (peguei duas e dei uma para o Diego e outra para um fã atrás de mim).



E então que o Lars tenta se comunicar e zoa conosco, que não parávamos de gritar o nome dele. Mas não toca em ninguém e vai para frente do palco com os demais fazer o agradecimento final.

Os integrantes saem do palco e os seguranças seguram a gente por mais uns 3 minutos lá. Descemos então por trás do palco e saímos na pista normal do festival.



Acabou! Que experiência foi esta? Parece que levou menos de 1 hora. Mas foi tão especial como imaginava. Sou um eterno fã destes caras e grato. Metallica vocês são do caralhooooo. Muito obrigado!

E quem sou eu? Bem, agora vou contar a vocês, me chamo Daniel, 38 anos, sou um fanático pelo Metallica desde 1990 e sigo cada passo da banda. Já peguei até 1 show fora do Brasil, em 2007, em Bruxelas. Tive mais de 10 anos de banda cover "Metallica Frantic" e fui em todos os shows deles no Brasil, exceto o de 89. Faço parte do Metclub desde 95 e nunca fui sorteado no meet-and-greet!


Ele também disponibilizou alguns vídeos no YouTube, que gravou enquanto estava no palco. Para assistí-los, clique aqui.

    Top

Mais detalhes sobre camarim da banda no Rock in Rio

   21 de setembro de 2015     tags: rock in rio 2015, brasil, curiosidades      Comentários

Um painel com dois metros de altura, instalado na entrada dos camarins do Rock in Rio, alerta os artistas que farão os shows na Cidade do Rock: "What happens backstage, stays backstage" (em tradução livre, "o que acontece no backstage, fica no backstage"). E não é para menos. O UOL teve acesso ao local, que conta com espaços para massagens, maquiagem, bar com comida e bebida liberadas, além de vários sofás, poltronas e até duas piscinas.

Os camarins de luxo foram instalados dentro do antigo prédio da rede médica Sarah, que fica em uma espécie de ilha anexada à Cidade do Rock com acesso apenas por um caminho atrás do Palco Mundo. Neste imenso espaço, foram construídas salas privativas (as maiores têm 6m x 5m), onde os artistas descansam.

Ingrid Berger, responsável pela produção dos camarins do festival, contou que as piscinas eram usadas para a fisioterapia e reabilitação de pacientes do hospital, mas foram decoradas, com velas e flores-de-lótus, para receber os artistas. Segundo ela, apenas os integrantes da banda The Script entraram na piscina até o momento. "Eles chegaram cedo aqui e passaram o dia tomando sol e nadando na piscina", disse.

Enquanto a reportagem esteve no camarim, passaram por lá o cantor Seal assistindo futebol americano no tablet e o baterista do Paralamas do Sucesso, João Barone, com o filho. "Seal chegou muito cedo, pediu um travesseiro e cobertor para descansar", revelou. "Meu trabalho não é só cuidar do camarim dos artistas. Eu também trabalho no conceito do lugar. Por exemplo, os camarins das bandas de heavy metal são pretos, e o da Katy Perry terá tons em púrpura".

Na noite de sábado, o baixista do Metallica, Roberto Trujillo, conversava com integrantes do Gojira enquanto bebia prosecco. Os dois usaram o espaço para trocar informações sobre instrumentos musicais.

Desde 2001, a profissional é a responsável pelos camarins de todas as edições do Rock in Rio, tanto no Brasil quanto no exterior. "O Rock in Rio de Madri foi o mais difícil porque os funcionários espanhóis dos camarins paravam de trabalhar às 17h e tiravam algumas horas para fazer a siesta".

Ingrid também é responsável por providenciar as exigências dos artistas. Na manhã de domingo, parte da equipe dela ficou enchendo 24 bolas de futebol para o cantor Rod Stewart usar no show. "O camarim dele ficou repleto de bolas. Ele é fanático por futebol e joga as bolas para a plateia". Já a banda Faith no More pediu 20 canetas e "muitas toalhas extremamente limpas, macias e que sequem de verdade".

O Metallica, a atração principal da noite de sábado, pediu uma panqueca especial. "Eles nos deram a receita, feita com clara de ovo, aveia e iogurte", lembrou. "São poucas bandas que exigem coisas absurdas ou dão muito trabalho". Os piores, para ela, foram Amy Winehouse, Rammstein e o Axl Rose.

"A Amy estava naquele período de recuperação e demorou muito para entrar no palco. Já o Axl queria entrar 40 minutos antes do combinado, mas era impossível porque já tinha outra banda se apresentando. Então ele voltou para o camarim e demorou horas para sair", contou. "O Rammstein, por sua vez, foi um pesadelo. Eles beberam todas. Fizeram uma festa e não queriam ir embora. Ficamos até o dia seguinte aguardando a festa acabar".

Uma das atrações principais deste domingo, Elton John foi suave nos pedidos. "Ele é muito tranquilo. Pediu para o camarim ser decorado com rosas vermelhas e brancas da Colômbia". Outro artista que surpreendeu foi Chris Martin, do Coldplay. "Ele carregou até a minha bolsa. Um gentleman".

Fonte: UOL Música

    Top

Fã do Metallica que viu show no palco do Rock in Rio e encontrou ídolos tatua autógrafos nas costas

   20 de setembro de 2015     tags: rock in rio 2015, brasil      Comentários



A noite foi de puro êxtase para 150 fãs do Metallica que subiram no Palco Mundo e assistiram à apresentação dos roqueiros lá de cima, bem atrás dos fãs. Imagine, então, se você você também consegue encontrar com seus ídolos, ganha autógrafos e tira fotos? Foi isso que aconteceu com a carioca Cristine Ferreira, de 35 anos. Fã do Metallica desde os 11 anos, ela viveu um dia inesquecível nesse sábado, no Rock in Rio, e decidiu guardar as recordações na pele: ela tatuou os autógrafos que tinha e que não tinha até.

— O James (Hetfield) não participou do meet and greet, mas como ele é meu maior ídolo, eu não podia deixar de colocar o autógrafo dele. Peguei num CD que ele autografou para mim e marquei para sempre a minha pele — conta a empresária, que recebeu a visita em casa da amiga e tatuadora Roberta Azevedo para realizar seu sonho: — Lars, que é o baterista, assinou nas minhas costas, um querido. Ficou olhando para ver se estava bom, pois falei que ia tatuar. Rob, que é o baixista, assinou também nas minhas costas. Ele me ajudou até a abrir a caneta porque, no nervosismo, eu não consegui. (risos) Kirk, o guitarrista, assinou num papel para eu poder passar para as costas. Ele não autografa na pele direto.



Cristine descobriu que a sorte tinha chegado no dia 9 de setembro, quando viu o resultado do sorteio, que ainda dava direito a uma acompanhante (a escolhida foi, justamente, uma amiga que conheceu por conta do fórum Metallica Remains, a mineira Beatriz Bernardo, que só subiu ao palco):

— Tem cinco anos que tento ganhar esse sorteio. Quando vi na página do MetClub (fã clube do Metallica) o “congratulations”, não acreditei. Chorei. Gritei. Neste dia, não consegui dormir. É difícil a ficha cair, entender que vai acontecer, que é real, que eles são pessoas de carne e osso e que são muito queridos e descontraídos neste contato com os fãs.



A primeira vez que Cristine viu os ídolos em ação foi em 1999, no Rio. De lá para cá, ela já foi a outras cinco apresentações, contando o do sábado, quando viu tudo do palco.

— Sou fãs desde os 11 anos, época em que o “Black album” foi lançado. No primeiro show, eu tinha 18 anos e não tinha amigos que gostavam para ir comigo. Fui sozinha. Foi realizador — afirma a empresária carioca, que não vai esquecer tão cedo a emoção que viveu no Rock in Rio 2015: — Dormi só quatro horas de ontem (sábado) para hoje (domingo). Estava muito nervosa ainda. Em êxtase, na verdade.



Fonte: Extra

    Top

Reveja show completo do Rock in Rio 2015

   20 de setembro de 2015     tags: rock in rio 2015, brasil, vídeos, summer tour 2015      Comentários

Foi disponibilizado no YouTube a apresentação que o Metallica realizou ontem, 19 de Setembro, no Rock in Rio deste ano no Rio de Janeiro, Brasil. Confira abaixo.


Agradecimentos: João Ricardo Camilo

    Top

Rock in Rio explica falha no som do show do Metallica

   20 de setembro de 2015     tags: rock in rio 2015, brasil, summer tour 2015      Comentários

O Metallica interrompeu seu show no Rock in Rio na madrugada deste domingo (20) após uma falha de som durante a música "Ride the lightning". A banda chegou a sair do palco por cerca de cinco minutos, mas voltou após o problema ter sido resolvido e tocou "The unforgiven". Assista no vídeo acima o momento em que o show do Metallica parou no Rock in Rio.

O festival publicou um comunicado oficial sobre o incidente: "A organização do Rock in Rio informa que a parada do som no show da banda Metallica ocorreu pela desconexão da linha de saída de som entre a mesa da banda e a do festival".

Em sua oitava participação no Rock in Rio – a terceira levando-se em conta apenas as edições no Brasil –, o Metallica fez o de sempre: um show seguro.

Sem disco de inéditas desde 2008, o quarteto tem pouco a fazer a não ser mudar a ordem e a presença de músicas antigas para não se repetir entre uma aparição e outra no evento. Os fãs parecem ter aprovados na plateia - e atrás do palco, caso dos membros do fã-clube que foram sorteados para ver mais de perto.

Foi justamente durante uma das mais conhecidas, "Ride the lightning", logo no começo do set, que ocorreu a interrupção forçada. O cantor e guitarrista James Hetfield chegou a deixar o Palco Mundo. Mas ele retornou após alguns minutos, e a banda tocou na sequência "The unforgiven", que rendeu coro do público. Gritos contra a presidente Dilma chegaram a ser entoados em alguns pontos da plateia, mas não duraram muito.

O inconveniente não pareceu prejudicar o humor de Hetfield. Que fez piada com o cheiro dos fãs. "Bonitos, mas cheirosos não", comentou. Depois, tentou corrigir: "Acho que sou eu". Em outro discurso, no final do show, Lars disse que esse show tinha sido o mais legal no Rock in Rio. Até isso foi repetido, já que em 2013 ele disse a mesma coisa.

Dentro das limitadas possibilidades de se diferenciar de si mesmo, o Metallica propôs algumas inovações discretas - não exatamente novidades, mas material "requentado" e rearranjado. Embora esteja aparecendo nos shows da banda neste ano,  "King nothing", jamais havia sido ouvida em um Rock in Rio no Brasil.

Vale o mesmo para "Turn the page", cover de Bob Seger, inédita na versão brasileira do festival. Foi uma boa versão, mesmo sem ter levantanado o público. O caso principal: "Frayed ends of sanity", de 1988, uma raridade nas apresentações do Metallica. Mesmo muito antiga, só começou a ser tocada ao vivo recentemente.

Rolaram músicas de todos os álbuns, exceto o controverso "St. Anger", de 2003. Do "Black Album", sucesso estrondoso de vendas, vieram cinco faixas, a maior presença.

O resgate de uma ou outra música do passado, junto das obrigatórias e certeiras, é uma formas de a banda tentar renovar um show sem novidades. O efeito colateral é que, às vezes, as "ousadias" entregam que o baterista Lars Ulrich está bem longe da velha boa forma. Não chega a comprometer a banda, mas entrega certa falta de esmero. O diagnóstico vale também para "Sad but true", com um Lars um pouco preguiçoso. Triste, mas verdade.

Fonte: G1

    Top

Setlist e fotos do Rio de Janeiro, Brasil

   20 de setembro de 2015     tags: setlist, fotos, rock in rio 2015, summer tour 2015, brasil      Comentários



No show que o Metallica realizou ontem, 19 de Setembro, no Rock in Rio do Rio de Janeiro, a banda tocou a seguinte setlist:

Fuel
For Whom the Bell Tolls
Battery
King Nothing
Ride the Lightning
The Unforgiven
Cyanide
Wherever I May Roam
Sad But True
Turn the Page
The Frayed Ends of Sanity
One
Master of Puppets
Fade to Black
Seek and Destroy
- - - - - - -
Whiskey in the Jar
Nothing Else Matters
Enter Sandman

Fotos da apresentação foram disponibilizadas e podem ser conferidas clicando aqui.

    Top


  Próximas >>>

Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2017 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade