Destaques

Notícias

Hammett conta como era ser aluno de Joe Satriani

   18 de agosto de 2017     tags: entrevista, hammett, satriani      Comentários



Em entrevista com a rádio CFOX de Vancouver de agosto de 2017, Kirk Hammett falou sobre a experiência de ter aulas de guitarra com Joe Satriani há mais de três décadas e meia atrás. "Tive aulas com ele em 1981", explica o guitarrista do Metallica. "Já conhecíamos um ao outro antes. Ele dava aulas em uma pequena loja de instrumentos em Berkeley, na California. E todos os meus amigos estavam tendo aula com ele e se tornando incríveis na guitarra da noite pro dia. Então fui atrás dele e falei 'Hey, quero me tornar um guitarrista incrível da noite pro dia também'. Então fui seu aluno por cerca de um ano.

Dentre outros alunos famosos de Joe estão Steve Vai, Alex Skolnick, Andy Timmons, Larry LaLonde, Rick Hunolt, Charlie Hunter, Jeff Tyson e Kevin Cadogan.

Kirk contou ainda como foi sua primeira aula com Satriani: "Na verdade foi muito estranha. A primeira coisa que ele me disse foi 'Aprenda sua lição. Não perca seu tempo, não me faça perder o meu. Eu espero que em uma semana você aprenda tudo que te passei'. Pensei 'Este cara é sério?'. Mas quer saber? Eu fiz o que ele pediu, e ele me fez botar pra quebrar. Mas após um tempo eu estava tendo duas aulas por semana, queria sugar tudo que ele tinha pra me oferecer. Eu dizia 'Vamos lá, tudo está começando a fazer sentido, quero aprender mais'".

O guitarrista do Metallica continuou a louvar seu ex-professor: "Tenho que dizer, Joe Satriani sempre tocou muito. Desde que o conheci ele sempre foi incrível, fazendo coisas que ninguém tinha tocado e provavelmente até hoje não consegue. Ele é um músico único".

Fonte: Whiplash!

    Top

Hammett explica sua relação com o dinheiro

   10 de julho de 2017     tags: entrevista, hammett      Comentários



Durante conversa com o programa "Southside" da rádio Rock 100.5 de Atlanta, na Georgia, o entrevistador Steve Rickman perguntou como é a relação de Kirk Hammett com o dinheiro, e eis a resposta do guitarrista do Metallica: "Ter grana traz um monte de problemas diferentes, e quer saber? Não sou bom neste negócio de guardar dinheiro, gasto com comic books, pôsteres de filmes, coisas de horror e guitarras. Vivo minha vida, apenas vivo a porra da minha vida. E sou generoso, aqueles que estão perto de mim vivem a mesma vida que eu vivo."

Fonte: Whiplash!

    Top

Hammett sobre solos do Hardwired: Queria ser imprevisível e inesperado para todos

   20 de junho de 2017     tags: entrevista, hammett, hardwired to self destruct      Comentários

Kirk Hammett do Metallica falou com a Kilpop sobre a abordagem mais improvisada que ele teve ao gravar as guitarras no novo álbum da banda, "Hardwired... To Self-Destruct" - algo que ele diz ter feito ao não preparar nenhum solo anteriormente, apenas chegando ao estúdio.

"Eu sempre me intriguei com o conceito de caos organizado e caos em geral", disse Hammett.

"Quando eu era adolescente, li muitos livros deste autor chamado Michael Moorcock. Ele criou todo este mundo, e caos era uma grande parte deste universo de personagens que ele criou. E eu sempre senti que o caos era realmente importante se fosse aplicado corretamente. Digo, caos é apenas um elemento de mudança, na verdade. E caos organizado, quando você pode tentar organizar quando ser caótico, eu sempre me intriguei com isso."

"Qual é o visual que consegue quando alguém se liberta de suas amarras?", continuou. "É, tipo, 'Ahhh! Liberdade! Ahhhh!'. E então o caos organizado é meio como você se libertando dessas amarras apenas para abraçar o caos que virá com isso."

"E eu acho que o que estou dizendo é que eu queria ser imprevisível e inesperado para todos, incluindo eu mesmo", disse Hammett. "E eu acho que a forma como gravei este solos no estúdio, eu fiz exatamente isso."


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hammett: James Hetfield é um poeta

   24 de maio de 2017     tags: entrevista, hammett, hardwired to self destruct      Comentários

`

Kirk Hammett, guitarrista do Metallica deu uma entrevista para o The Inquirer e chamou seu colega de banda, James Hetfield, de "poeta". O elogio foi por conta da carga emocional que James coloca nas composições da banda. "James é um poeta cara. Toda vez que começamos a escrever, me surpreende a capacidade dele com as palavras, o lado humano mesmo. Se você olha pra ele não imagina que ele seja assim, mas ele é muito sensível e se souber que eu estou falando tudo isso dele, ficaria desconcertado".

Hetfield disse à So What! (revista para os fãs da banda) sobre sua idéia para "Hardwired", faixa que abre o último álbum lançado pela banda: "A letra é muito simples, não é Shakespeare, eu sei disso. Tem a ver com essa era eletrônica, com todas essas 'ferramentas', como estamos nos auto destruindo com tudo isso, essa briga de egos. A frase "hardwired to self destruct" veio de um amigo meu que estava lutando contra esses vícios. Seria esse o nosso futuro? Somos nós mesmos que iremos nos auto destruir? Isso me chamou a atenção. Sobre a 'Moth Into Flame', ela é bem oque a letra diz também. Hoje em dia todo mundo tem uma obsessão por ser famoso. Ser popular. Seja lá na própria conta do facebook ou fazendo selfie pela rua. Pra que?".

Em uma entrevista recente, o baterista do Metallica, Lars Ulrich, também falou sobre o significado de "Hardwired" , explicando como os fãs da banda interpretaram a música de várias maneiras. Ele disse à revista Q: "Infelizmente, ela poderia ser a trilha sonora do momento em que vivemos, no sentido político (risos) mas, não é. Não nasceu nesse sentido. James tinha a idéia relacionada sobre como é uma característica das pessoas que querem fazer o bem, parecem que tem dentro do dna a capacidade de estragar tudo ao invés de fazer o certo. Nós escrevemos e gravamos isso em menos de uma semana e, quando surgiu em agosto a divulgação, todas as pessoas começaram a associá-la à maneira louca que o mundo está agora, e na verdade ela fala sobre cada um. Para mim, é importante que não haja uma maneira correta ou errada de ouvir a música, não há maneira certa ou errada de ouvir ou interpretar algo. Então, se é isso que as pessoas fazem dessa música, eu não vou dizer a eles que eles não deveriam fazer isso. Mas certamente não foi dado à luz como, 'Agora vamos escrever um hino para o período tal".

Ele acrescenta: "O bom sobre as letras do James é quão ambíguas elas são na maioria das vezes e como as pessoas podem pegar quase todas as letras e transformar elas em algo que se encaixa na sua visão do mundo. Realmente tem esse tipo de ambigüidade. Se isso é o que as pessoas querem fazer, eu fico muito feliz que nossa música sirva para qualquer coisa agora (risos)"

Fonte: Whiplash!

    Top

Hammett: Cada vídeo do Hardwired custou entre 15 e 20 mil dólares

   20 de abril de 2017     tags: entrevista, hammett, áudio      Comentários

Como noticiado anteriormente, nos dois dias antes do lançamento oficial do último disco do Metallica, "Hardwired... To Self-Destruct", em 18 de Novembro, a banda divulgou clipes para cada uma das músicas do disco.

Em uma nova entrevista com Andy Hall da rádio Lazer 103.3 de Des Moines, Iowa, o guitarrista do Metallica, Kirk Hammett, foi questionado se ele estava feliz com o resultado dos vídeos do Hardwired. "Oh, sim. Alguns dos vídeos que fizemos, eu acho, são os melhores vídeos que já fizemos. O vídeo de 'Dream No More', eu acho, é totalmente espetacular e me lembra de um filme de Kenneth Anger que foi gravado talvez na década de 50 ou 60. Do ponto de vista artístico, eu acho que é muito legal. E também nos dá uma vantagem em todas as situações onde uma banda lança um novo álbum e alguém ouve uma faixa, uma faixa nova, e decide, 'Oh, eu vou fazer um vídeo no YouTube desta faixa', e então, de repente ele se torna o vídeo predominante no YouTube para aquela música. Isso acontece; é algo bem comum que acontece no mundo do YouTube, e estamos cientes disso. E então decidimos fazer isso por conta própria e garantir que o vídeo que fizemos para aquela música fosse o vídeo principal que todos vissem para aquela música, ao invés da visão de alguma outra pessoa para ela."

Hammett também foi perguntado se existe alguma música antiga do Metallica que a banda nunca gravou um clipe, que ele acharia que ficaria bem com uma interpretação visual. Ele respondeu: "É interessante você dizer isso, pois é tão mais barato atualmente fazer vídeos. É louco quão barato é. Tá certo, voltarei a 1988. O vídeo de 'One' nos custou muito dinheiro - 6 dígitos - e ficamos assustados com o custo. Você não conseguia entender porque custava tanto. Agora você vem para 2016, 2017, um vídeo típico que fizemos para o 'Hardwired' atualmente custou entre 15 a 20 mil [dólares]. É loucura quão barato é. Muito disso é por conta da tecnologia digital. O que me leva ao fato de que já que os vídeos são tão baratos hoje, seria interessante para a gente se decidissemos voltar e fazer um vídeo para uma faixa que nunca fizemos um clipe - tipo, 'Carpe Diem Baby' do 'Reload'. É uma possibilidade atualmente, pois é tão barato fazer vídeos. Eu não sei se acharíamos inspiração de fato para fazer algo assim, mas vai saber. Talvez as pessoas comecem a fazer isso."


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hammett: As vezes sou uma pessoa brava e isso acaba saindo na minha música

   13 de abril de 2017     tags: entrevista, hammett, vídeos, brasil      Comentários

Kirk Hammett foi entrevistado pela 89FM antes da apresentação no Lollapalooza Brasil. No meio da conversa, o entrevistador disse que ele já tinha feito muito na música com o Metallica e perguntou se há algo que ele ainda não tenha feito, e ele respondeu: "Eu gosto muito de outros tipos de música, adoro Bossa Nova, Jazz e quero fazer minhas versões desses estilos. Eu não tenho ideia de como isso vai soar, mas sinto que meio 'groove' e agressivo. Eu às vezes sou uma pessoa brava e isso acaba saindo na minha música".


Fonte: Whiplash!

    Top

Hetfield: "Fãs participavam mais sem celular"

   12 de março de 2017     tags: entrevista, hetfield, hammett, vídeos, brasil      Comentários

O Fantástico entrevistou integrantes do Metallica, que voltam ao Brasil este mês para o festival Lollapalooza, em São Paulo. James Hetfield falou sobre o uso dos celulares em shows: "Os fãs participavam mais sem celular. Eu sempre acho que as pessoas vão se arrepender por não guardar o show no coração, em vez de guardar no celular". Mas James faz uma ressalva: “Seria legal se já existisse celular na década de 80, quando o Metallica estava em começo de carreira e ainda tinha Cliff Burton. Temos muitas saudades. Eu adoraria ter mais fotos e vídeos dele”, afirma.

    Top

Hammett explica a evolução das letras da banda

   09 de março de 2017     tags: entrevista, hammett, hardwired to self destruct      Comentários



O guitarrista Kirk Hammett disse que o Metallica quis recapturar o clássico "Kill 'Em All", de 1983, em seu álbum mais recente, "Hardwired... To Self Destruct". A declaração foi dada em entrevista à rádio RMX, do México.

"Em termos de atitude, foi similar ao que está em 'Kill Em All'. Foi a ideia, no começo. Claro que não poderíamos fazer outro 'Kill Em All'. Então, o resultado final é onde acabamos após compormos com este pensamento", afirmou.

Kirk complementa: "Este disco é uma representação precisa de onde nossas cabeças estão musicalmente. O que nos empolga hoje são coisas empolgadas, enérgicas, com mais groove. As parte mais melódicas estão presentes. É o que queremos ouvir. E se está parecido com '...And Justice For All' e 'Kill Em All', ótimo".

Hammett falou também sobre a temática lírica do "Hardwired... To Self Destruct", explicando que tem a ver com a maturidade emocional envolvida na composição. "Acho que, à medida em que nossa consciência e inteligência emocional avança, nós amadurecemos um pouco - especialmente, por estarmos cientes de diferentes estados emocionais que podemos ter", afirmou.

Houve, segundo ele, uma mudança de perspectiva por parte de James Hetfield, principal compositor lírico. "Em algum momento, houve uma mudança em que as letras de James se tornaram mais sobre, 'sim, nós sabemos que estamos em um lugar fodido, mas isso é o que farei para tentar torná-lo um pouco mais seguro para mim e para quem está ao redor'. É uma grande mudança", disse.

Fonte: Whiplash!

    Top

Hammett: O heavy metal sempre foi um espelho dos sentimentos, emoções, condições, situações e circunstâncias das pessoas

   08 de março de 2017     tags: entrevista, hammett      Comentários



O guitarrista do Metallica, Kirk Hammett, disse a Tim Noakes da revista Rough Trade em uma recente entrevista que os tempos incertos e negros que vivemos resultará em um ressurgimento da música brutal. "Do que eu posso ver, o heavy metal e a música em geral sempre foi um espelho dos sentimentos, emoções, condições, situações e circunstâncias das pessoas", explicou. "Parece que nas melhores épocas, tivemos músicas realmente felizes, quase medíocres, e nas piores, tivemos músicas realmente raivosas, de protesto. Então será assim no futuro? Eu não sei. Mas eu sei que há muitas pessoas bravas, privadas de seus direitos por aí, que estão frustradas e tem toda esta raiva que precisam extravasar, espero que de uma forma catártica."

Hammett também pareceu concordar com um estudo recente que mostrou que ouvir heavy metal ou estilos extremos de música ajuda se livrar de sentimentos como raiva e depressão. "Ouvir e tocar heavy metal realmente ajuda", disse ele. "É uma coisa circular - a música ajuda a pessoa que a está criando e tocando, e assim que é tocada, ela ajuda outras pessoas no caminho."

"Parece que o futuro é mais imprevisível agora do que já foi em minha própria vida", continuou. "Será interessante ver o que as pessoas farão - elas ficarão grudadas em seus computadores e digitarão suas frustrações, ou elas simplesmente acordarão, olharão em volta e perceberão o que está rolando: estamos sendo separados e divididos do jeito mais trapaceiro possível."

Tanto Hammett quanto o baterista do Metallica, Lars Ulrich, já manifestaram seus descontentamentos com o presidente dos EUA, Donald Trump, algo pouco usual para uma banda cujos membros nunca falaram muito sobre política.

Falando sobre o aumento da retórica divisiva da política global dominante, que ameaça reverter direito humanos ao redor do mundo, Hammett disse a Rough Trade: "É um mundo estranho e nós realmente precisamos não nos dividir, pois é isso que o poder que está tentando nos controlar quer. Atualmente todo mundo está tão dividido que nós realmente precisamos achar algo em comum do que encontrar nossas diferenças - para focar naquilo que nos une. Algumas pessoas do outro lado do espectro podem falar, 'talvez nós devessemos ser mais isolacionistas e apenas proteger nossa tribo', mas eu simplesmente não acredito que o resultado final será benéfico para todos."

Hammett também reconheceu o papel das mídias sociais em espalhar "notícias falsas" com importantes consequências políticas.

"Goste ou não, é uma comunidade mundial agora por causa dos computadores", disse ele. "Aquela tela é um portal para o mundo e as pessoas apenas precisam perceber a responsabilidade que vem por estarem na internet. Há muita imprudência, muita irresponsabilidade, muita mentira, muita desorientação, e é preocupante pois isso apenas complica ainda mais o mundo."

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hammett reage a covers de músicas do Metallica

   07 de março de 2017     tags: vídeos, hammett, curiosidades      Comentários

Em um vídeo no YouTube do canal de Luisito Rey do México, o guitarrista do Metallica, Kirk Hammett, assiste e comenta sobre alguns covers que outros artistas/fãs gravaram de músicas do grupo. Confira abaixo.

    Top


  Próximas >>>

Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2017 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade