Destaques

Notícias

James Hetfield: "Jason fugiu quando as coisas ficaram pesadas"

   25 de Julho de 2004     tags: hetfield, entrevista      Comentários

James Hetfield do Metallica foi recentemente entrevistado por Greg Kot do Chicago Tribune sobre o documentário "Some Kind of Monster". Seguem alguns trechos da entrevista:

P. Lars Ulrich disse que o Metallica que existe atualmente é o Metallica que Jason Newsted sempre quis quando estava na banda. Você concorda?

James: "Jason certamente nos incentivou a refletirmos sobre nós mesmos, mas infelizmente ele foi aquele que não fez isso, ele fugiu. Assim que começou a ficar pesado, ele caiu fora. Eu estou feliz em termos continuado com aquilo que tínhamos que fazer. De certa forma, estávamos desapontados pelo fato dele não querer continuar o trabalho. Ele queria só chegar ao final. Ele não queria percorrer o caminho para isso."

P. Então o que exatamente você e o Lars têm em comum além das lutas pela liderança em uma banda de rock milionária?

James: "[risos] Você não está errado em dizer que nós somos pessoas bem diferentes em nossos interesses externos. Mas internamente, a música nos move de certa maneira, e a mesma música tocou nossas vidas logo no começo. Além disso, nós dividimos os problemas de controle, de confiança, de poder. Então há bastante coisa que temos em comum, e nós usamos isso um contra o outro por um bom tempo. Por isso é tão difícil para nós nos aproximarmos, porque nós usamos as mesmas armas e as mesmas barreiras. Nós estamos conseguindo abaixar a guarda e nos conhecermos melhor, e agora sabemos quando um de nós está usando as velhas táticas para trilhar seu caminho."

P. Vocês já pararam para pensar se este filme poderia se tornar em uma versão verdadeira de "Spinal Tap" (filme que retrata a trajetória e crise da banda fictícia "Spinal Tap")?

James: "[risos] Quando alguém diz algo desse tipo, duas coisas me vêm a mente. Uma é, 'Meu Deus, o que fizemos? O que fizemos de errado? Eu não posso voltar atrás agora.' E a segunda é o quão triste é alguém pensar que o que fizemos é tão chocante. Que alguém ser ele mesmo, e se abrir - que presente maravilhoso é ter câmeras lá durante nossa época mais traumática. Ninguém entende isso de verdade. Por que não explicar?

"Este filme é sobre relacionamentos. São quatro caras que estão passando a vida juntos e por acaso nós tocamos música. Não é sobre rock. Gira em torno de estarmos em uma banda, mas poderia ser um filme sobre quatro caras que não estavam em uma banda. A parte mais interessante é que nós estamos em uma banda sempre visível e em uma carreira que é muito baseada no uso e controle da imagem, e estamos quebrando isto."

fonte (em inglês): Blabbermouth.net


Veja também

Hetfield sobre o Hardwired: Queria combinar o Kill 'Em All com o Black Album (27 de novembro de 2016)
Ulrich: "St. Anger foi um experimento isolado" (18 de julho de 2011)
Encontro do Metallica e Jason (27 de abril de 2004)
Hammett: "Eu me arrependo de termos gravado o Some Kind of Monster" (02 de outubro de 2007)
James Hetfield: "Jason era um dos egos da banda" (09 de julho de 2004)

Comentários




Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2019 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade