Última entrevista de Cliff

26/09/86

A última entrevista de Cliff foi conduzida por Jörgen Holmstedt em Estocolmo no dia 26 de Setembro, 14 horas antes de sua morte. A entrevista e a seção de fotos foi feita para a revista pop sueca "Okej" e foi publicada agora em sua totalidade na edição de 20 de Julho de 2004 da "Sweden Rock Magazine".

Segue abaixo a entrevista na íntegra:

Prometeram-me uma conversa com Lars mais tarde e, no meio tempo, entrevistei Cliff Burton que se sentou lá, segurando sua caneca de cerveja. O baixista do Metallica olhou para ele mesmo com seu bigode ralo, seu cabelo avermelhado rebelde que parava como cola em sua cabeça, e que logo abaixo de seus ombros estava bagunçado. Olhando de perto, ele parecia mais velho do que seus 24 anos com seus dentes amarelados, o "härjad" e um rosto meio marcado, o olhar cansado e a voz lenta típica de quem gosta de fumar um pouco aqui e ali. Tão louco como ele é nos palcos, ele é calmo fora deles.

Suas roupas consistiam em uma camiseta com uma camisa, jaqueta de jeans e aqueles lendários jeans largos que Cliff usava em 1986, quando era moda usar jeans super apertado. Na frente, ele tinha uma pequena montanha de Tuborg, Löwenbrau e Pripps. É um personagem verdadeiro do qual estamos falando.

Neste momento ele estava mais do que feliz em falar.

Eu comecei perguntando a Cliff se ele esperava que a banda chegaria aonde chegaram naquele momento em particular.
"Nem morto!" , ele gritou e abriu outra Löwenbrau, que estava em temperatura ambiente, com um "pschh". "Você não espera nada neste tipo de negócio. Nós definitivamente não nos tornamos estrelas do dia pra noite. Todo o tempo nós fizemos o que queríamos fazer. Nós nunca nos empenhamos muito para nos tornarmos estrelas do rock ou algo do tipo."

Nem quando vocês assinaram um contrato com a major Elektra nos Estados Unidos?
"Para nós foi mais para conseguirmos a possibilidade de comprar equipamentos novos e mais tempo no estúdio. Você sabe, só uma maneira de melhorar ainda mais o que temos."

Você sente que muitas das mídias de massa não gostam de bandas de "thrash metal" como o Metallica, comparado com o tanto de atenção que grandes bandas de rock de arena conseguem, apesar do fato de estarem no mesmo nível com o grande sucesso de vendas "Master of Puppets"?
"Nós não ligamos para o que as mídias de massa dizem ou escrevem. Nós temos que ter esta atitude senão poderíamos ser afetados por elas mas isso nunca vai acontecer conosco. A vendagem do disco fala por si próprio. Nós fazemos o que fazemos."


Você pode descrever o que sente quando vê seu álbum subindo mais e mais nos "ranks" de álbuns, até mais do que várias bandas mais conhecidas e nomes com mais tradição?
"Surpreso é a única palavra que eu consigo pensar. Não é nada daquilo que você espera, ainda mais porque nunca tocamos em rádio. Dá a sensação de que existe esperança para nosso tipo de música. Isso prova que você não precisa realmente de rádio."


Vocês disseram que provavelmente lançariam um "single" de "Master of Puppets" com duas músicas inéditas e recentes do outro lado do disco, o que aconteceu?
"Nós planejávamos fazer isso cara, mas então o James machucou o seu tornozelo e não pode tocar as músicas para o outro lado."

Então vocês não têm nenhuma música sobrando do "Master of Puppets" – gravação que vocês poderiam usar no lugar?
"Não, nós tentamos algumas músicas extras mas não saiu como queríamos, então falamos ‘dane-se'."

Agora que vocês estão no topo, ou próximo disso, está tudo como você esperava ser?
"Nós temos muitas coisas para fazer ainda, pode ter certeza. Mas você não pensa assim, o que se espera, apenas vai indo como louco e olha pra trás quando acabar. Senão você fica muito confuso."

Vocês devem, pelo menos, ganhar mais dinheiro atualmente?
"Sim nós ganhamos, ha ha. Nós temos um bocado de dinheiro a mais no bolso hoje,e estamos esperando mais das vendagens do último álbum. Nós sobrevivemos. Fazer turnês é mais gostoso agora que temos um novo ônibus e materiais melhores."

Aqui eu espontaneamente parei a minha velha fita da entrevista que eu consegui achar em uma velha gaveta em meu porão empoeirado. Eu havia esquecido que Cliff paradoxalmente falou bem do ônibus que eventualmente o matou. Mas 14 horas antes, tudo estava bem. Eu vou apertar "play" de novo.

Um de seus amigos disse que 1986 é, na verdade, o primeiro ano que vocês estão conseguindo algum dinheiro.
"É verdade. Todo o dinheiro ganho antes foi direto para a compra de equipamento da banda."

Como você se sente sobre o seu primeiro álbum "Kill'em All" hoje?
"Eu não o ouço há cerca de um ano e meio, ha ha! Ainda tocamos algumas músicas dele, mas um pouco diferente do que tocamos no álbum. Elas ficaram mais rápidas e pesadas, eu acho."

Como vocês começaram a usar o estúdio "Sweet Silence" em Copenhagen para gravar seus álbuns?
"Em primeiro lugar é um bom estúdio e eles têm um bom técnico lá, Flemming Rasmussen. Também porque conseguimos um bom preço. Nós sabemos que podemos conseguir um bom som lá. Tudo isso faz de ‘Sweet Silence' um lugar legal de se ficar. Só tem uma sala de estúdio, então você não cruza com outras bandas toda hora. Você pode se concentrar no seu trabalho."

O som em "Master of Puppets" é bem anos 70, com um som bem seco e muito eco na bateria, parecido com o que Ozzy e Dio tem em seus álbuns. Você concorda?

"Sim, nós queríamos ele bem seco para que soasse bem direto. Michal Wagener mixou o álbum e toda hora nós aparecíamos lá para ouvir que ele tinha coloca bastante reverb em quase tudo. Nós imediatamente falamos que não tava certo, para tirar o reverb das guitarras. A caixa soava como ‘ssschplaaaahhhh!'. Um som realmente medíocre. Não funcionava nas músicas mais rápidas, ficou gooey (nota: isto que ele disse). Não queríamos um álbum super produzido então falamos para ele o manter seco e direto, o mais próximo de nosso som ao vivo possível."


Atualmente várias bandas auto-intituladas de "thrash metal" foram contratadas por grandes empresas, como Anthrax e Metal Church. Parece que tudo começou com o Metallica. Vocês se sentem pioneiros?
"Não, não parece ser assim. Seria estranho se você sentasse e pensasse em você dessa forma. A gravadora pode nos ver como isso, mas nós certamente não. Será interessante ver por quanto tempo essas bandas durarão nas grandes gravadoras."

Você não acha que esse tipo de musica vai crescer ainda mais?
"As coisas vão mudar. Você sabe, de repente algo novo aparece antes de você perceber. Mas sempre haverão sobreviventes."

Vocês já tiveram tempo de escrever novas músicas desde que gravaram "Master of Puppets"?
"Não. Nós estamos em turnê há um ano. Temos um ‘riff' aqui e ali, conceito, talvez alguns títulos mas nada completo ainda."

Vocês fazem uma "jam" entre si antes de entrar no palco?
"Sim, estamos lapidando nossas músicas dessa forma, ha ha! Algumas vezes conseguimos idéias para novas músicas tocando assim, mas geralmente ficamos bestas e tocamos do nada quatro músicas diferentes ao mesmo tempo. Nós mesmos gravamos nossas idéias e, então, tocamos para o resto da banda. Quando não fazemos turnê nós podemos arranjá-las para completar as músicas."

Quando esta turnê terminará?
"A turnê européia? Eh, eu não consigo lembrar..."

De acordo com o plano de turnê, o ultimo show da Europa será dia 26 de Outubro no Aardschok Festival na Holanda, um dos maiores festivais de metal, junto com o Slayer e Anthrax. Muito barulho tem sido feito sobre isso dado que será um evento único com as três maiores bandas de "thrash" em um mesmo palco. Mas o destino quis algo diferente.

"De qualquer forma, devemos parar em Janeiro de 1987" , continuou Cliff . "Ou em Fevereiro, se alguns shows forem adicionados. Talvez Março, que diabos eu sei, ha ha! Esse é o esquema, eles sempre dizem ‘você irá em turnê aqui e ali, e então acabou'. Mas mesmo depois, é algo como ‘oh, aproposito, nós aumentamos a turnê em cinco semanas, porque agora vocês podem começar a vender álbuns nesses países também'."

Mas vocês não ligam pra isso, certo?
"Não, de forma alguma. É como se você fizesse uma banda como a nossa ficar maior. Como não temos tempo em rádio, temos que fazer turnê o máximo que pudermos. Esta turnê européia dura mais um mês. Então nós vamos por duas semanas para a América e então para o Japão por cerca de dez dias. Começou a fluir legal no Japão depois que conseguimos esse grande contrato com a CBS/Sony por lá. ‘Master of Puppets' vendeu muito mais do que os nossos outros dois álbuns no Japão, então eu mal posso esperar para ir lá. Depois disso, a gente não sabe ao certo o que acontece. Talvez iremos para a Austrália, talvez iremos a América do Sul, mas isso são só planos. Então tiraremos umas férias em casa, antes de tocarmos no oeste em Janeiro dado que não tocamos em vários lugares quando abrimos para o Ozzy, pois ele teve problemas na garganta e teve que cancelar a turnê."

O que você conhece da Suécia?
"Creio que quase nada."

Yngwie Malmsteen e vodca Absolut?
"Basicamente isso."

Você ainda vive em São Francisco?
"Sim, eu vivo. Eu moro no apartamento de meus pais. Eu nunca estou em caso de qualquer forma, você sabe. Sempre indo a algum lugar. Não pagaria aluguel por um lugar que estaria sempre vazio."

Então você não está planejando comprar um lugar que possa ser chamado de lar?
"Assim que possível eu vou fazer isso. Mas eu não tenho os fundos para isso. É um sonho meu comprar a minha própria casa. Um dia, espero, eu terei dinheiro suficiente para isso."

Você acha que permanecerá em São Francisco?
"Sim, na ‘Bay-area'. É meu lugar favorito. Todo mundo da banda, exceto Lars, parece querer ficar na ‘Bay-area'."

Vocês são chamados de uma banda de "thrash", mas se eu bem sei você não ouve muito "thrash", certo?
"Bem, um pouco, mas não muito. Existe uma grande diferença entre o que a gente ouve comparado com o que a gente toca. Eu pessoalmente ouço muita coisa que não é tão pesada, tipo R.E.M., você já os ouviu?"

Como um metaleiro de 24 anos eu tenho que confessar que eu não sabia nada de Michael Stipes e uma banda pop que conquistaria o mundo algum tempo depois.

"Uma banda com influência sulista e leve," explica Cliff . "E eu também gosto de Peter Gabriel, Roxy Music e música mais velha, tipo Thin Lizzy, Blue Oyster Cult, Rush e Black Sabbath. Essas velharias. E punk tipo The Misfits."

Quando você ouve música mais leve, você sente que poderia escrever uma música desse tipo?
"Eh, sim, algumas vezes. Mas não há tempo pra isso, você sabe. O que a gente está fazendo agora exige toda o nosso tempo e energia. Talvez um dia, quando tivermos mais tempo, eu acho que pode acontecer. É um idéia interessante, pode ter certeza."

Como você acha que será o próximo álbum?
"Não há como prever isso. Isso está no futuro, e nós não ligamos pra isso agora. Estamos concentrados no que temos que fazer no momento. Quando for a hora veremos o que acontece. Ainda não discutimos com os produtores nada do tipo. Pensamos se usaríamos um grande produtor no ‘Master of Puppets', mas quando chegou a hora não nos pareceu certo. Nós sabemos que o Flemming Ramussen nos dá o som que queremos. Mas eu tenho certeza que o dia em que contrataremos alguém diferente chegará. Ainda mais porque ‘Master of Puppets' levou muito tempo pra ser feito. Se nós pegarmos um produtor eu acho que será alguém que fará com que trabalhemos mais rápido."

A gravação mostra que Cliff estava certo: o Metallica experimentaria, como vocês sabem, coisas mais leves primeiramente no "Black Álbum" de 1991. Ele foi produzido por um grande nome, Bob Rock. No entanto, isso não os fez trabalhar mais rápido, pelo contrário.

Eu acho que o próximo álbum não será gravado em Copenhagen, dado que eu sei que vocês estão cansados e enjoados dessa cidade?
"Ha ha! Sobre esse problema, se realizarmos nosso desejo, provavelmente gravaremos na Califórnia. Provavelmente em Los Angeles. O tempo será automaticamente mais rápido lá. Em Copenhagen você não tem energia. Não é algo que reflita na música, mas vivemos lá por cinco meses, no meio do pior inverno. Da próxima vez será legal fazer isso em outro lugar onde exista luz e muito sol."

Agradecimentos ao Am_I_Evil do MetClub pela tradução para o inglês da entrevista.
Tradução em português feita pelo MetalRemains.

 



Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2019 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade