James Hetfield: "Jason era um dos egos da banda"



09/07/2004

Lars Ulrich e James Hetfield foram entrevistados, separadamente, recentemente pelo CHUD.com sobre o documentário "Some Kind of Monster". Seguem vários trechos:

Sobre a seqüencia na qual Dave Mustaine, ex-guitarrista do Metallica e atual Megadeth, fica cara a cara com Lars em uma sessão de terapia:

Lars: "Essa interação foi emocional em diferentes níveis. Principalmente confusa, pois foi difícil para mim, compreender que quando ele pensa em sua carreira e aquilo que conseguiu e sobre ter feito alguns dos melhores álbuns de heavy metal dos anos 80 em diante, ele só pensa em estar atrás do Metallica. Isso é meio difícil de compreender. Eu achei que foi ótimo passar um tempo com ele. Eu sempre tive um certo carinho por ele. Eu sempre achei que ele era mais doce do que aparenta. Eu sempre tive vontade de abraçar Dave Mustaine. Eu não sei porque, talvez eu sinta atração sexual por ele. Eu sempre gostei de passar qualquer tempo com ele. Nós passamos por esses períodos nos quais falávamos muito ao telefone e depois não nos falávamos por um ano e, de repente, falávamos de novo ao telefone uma vez por semana durante seis meses."

James: "Eu queria entrar no meio e defender Lars, primeiramente. Eu posso realmente entender aquilo que Dave passou. Mesmo com todas as coisas que conseguiu, seus criticismo em sua mente não o deixa em paz. Eu me sinto feliz por não estar lá - se eu estivesse, poderia ter perturbado o modo natural como esses dois se comunicaram. Foi legal ver Lars - eu acho que ele está mais revelador nesta cena do que em qualquer outra. Ele não estava atuando para a câmera. Eu acho que ele começou a se perder e a se culpar por coisas que ele não precisava. Também foi muito bom pra Dave, é um trecho para ser visto. Dá uma boa visão daquilo que o Dave tem passado."


Sobre o fato de Dave não estar muito feliz com a cena no filme e se ele falou ou não com eles sobre isso:

Lars: "Nós nunca falamos sobre isso diretamente, mas eu acredito que [os diretores do filme] Joe e Bruce enviaram a cena de Dave Mustaine ou algo próximo dessa cena para ele e ele não foi muito receptivo quando a isso. Nós meio que debatemos o que deveríamos fazer com isso. Nós já passamos a fase de encher uma pessoa de propósito. Ele não foi muito receptivo, mas não sabíamos se era ele ou seus produtores; era estranho."

"Algo que me aconteceu é que quando eu comecei a ver algumas cenas editadas do filme juntas era difícil de assistir, e estranho. Assim que eu vi de maneira dramática, como um filme, eu pensei, 'Claro!'. Nós não podíamos enviar o filme (ou talvez pudéssemos) mas ele viu essa cena isoladamente e parece que ele não gostou de ver o Dave Mustaine vulnerável por aí para as massas ou algo assim. É uma pena."


Sobre o fato de ter acontecido algo depois do encontro com Dave:

James: "A única comunicação que tivemos sobre ele é que ele está chateado com o trecho e isso me desapontou um pouco, mas faz sentido pra mim. Mas eu acho que quanto mais retorno ele tiver das pessoas, ele ficará melhor."

Sobre a cena com o ex-baixista do Metallica, Jason Newsted, na qual fala sobre os egos da banda:

James: "Bem, é duro. Existe verdade nisso para a realidade dele também. E sim, egos, claro. Ele definitivamente era um deles. Os três juntos não funcionam. Do modo como a banda está atualmente existe um Lars e um James que ligam mais para o ego e tem o Kirk e o Rob, que balanceiam isso bem. Com Jason havia um pouco de, 'Ei, e quanto a mim?'. Nós não demos a ele essa chance, nós acabávamos com suas coisas todas as vezes, era como éramos. Nós fazemos de maneira diferente atualmente. Nós não podemos mudar o qua fizemos naquela época - bem, nós podemos não fazendo isso de novo. Deve ter sido difícil."

A entrevista completa com Lars pode ser lida, em inglês, clicando aqui. Já a entrevista de James, pode ser lida clicando aqui.

 



Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2019 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade