Destaques

Notícias

Metallica planejava demitir Ulrich nos anos 80

   15 de outubro de 2014     tags: anthrax, áudio, entrevista, ulrich      Comentários



O guitarrista do Anthrax, Scott Ian, confirmou os antigos boatos de que o Metallica planejava despedir Lars Ulrich no meio dos anos 80, mas acredita que James Hetfield, Kirk Hammett e Cliff Burton teriam mudado de idéia antes de demitir o baterista dinamarquês.

A história da suposta insatisfação do Metallica com Ulrich ganhou crédito em 2009, quando o ex-guitarrista do Metallica e atual líder do Megadeth, Dave Mustaine, revelou a revista Rolling Stone que Ian havia contado para ele que na última turnê de Cliff Burton com o Metallica antes de sua morte, a banda planejava despedir Ulrich ao final. Mustaine disse, "Isso foi o que Scott me contou. Ele disse que quando o Metallica voltasse para casa, que James, Cliff e Kirk iriam despedir o Lars".

Ian nunca negou ter contado sobre os planos de substituir Ulrich para Mustaine, e recontou a história agora em sua auto-biografia, "I'm The Man: The Story Of That Guy From Anthrax", lançada em 14 de Outubro no exterior.

Falando com Sid Black da rádio 94.3 KILO de Colorado Springs, Colorado, Ian falou sobre o incidente: "Muitas pessoas tem me perguntado sobre isso, e a história está por aí há bastante tempo."

"Eu não vou voltar atrás nisso; isso nunca seria minha intenção. Meu livro não é uma exposição; não é esse tipo de livro."

"Mas sim, a história era de que eles tinham feito planos e que eles iriam fazer uma mudança e arrumar um novo baterista. Nós ficamos todos chocados com isso, porque eram os quatro. Foi tipo, 'Uau! Sério?' e eles falaram, 'Sim. Quando nós terminarmos esta turnê, vamos achar outro baterista'."

"O que eu poderia fazer? Sendo só um cara que era amigo de todos eles, você se sente, 'isso é uma pena para Lars. Que merda.' E ao mesmo tempo, você espera que seus amigos possam continuar e fazer o que querem fazer."

"Obviamente, a história foi diferente para o Metallica e eles se tornaram, sem dúvida, uma das maiores bandas do planeta. Então eu estou feliz que tudo isso... Obviamente deu tudo certo para meus amigos. Foi uma tragédia horrível que Cliff tenha morrido naquele acidente de ônibus."

"Tudo que eu podia dizer sobre tudo isso era que nós éramos um bando de crianças, cara... Nós éramos um bando de crianças que nos encontramos bem cedo em nossas carreiras, e alguns anos mais tarde, estávamos juntos na Europa em turnê. Nós estávamos todos com 20 e poucos anos, e apenas celebrando a vida e o fato de que as coisas estavam acontecendo de verdade com nossas bandas. E houve um acidente de ônibus. E isso realmente colocou as coisas em seus devidos lugares depois disso. As prioridades rapidamente se arrumaram. Foi uma coisa que eu ainda não consigo entender direito."

Apesar do fato de que Hetfield, Hammett e Burton pareciam determinados em conseguir um novo baterista, Ian diz que "honestamente acha que isso não teria acontecido. Pois, acredite, eu pensei bastante sobre isso durante os anos. Eu honestamente acho que a turnê teria terminado e eu acho que cabeças mais frias teriam prevalecidos, talvez, e eu não acho que a mudança teria acontecido. Isso é o que eu acredito."

Para visualizar este conteúdo, é necessário ter Flash instalado


Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hammett: "O heavy metal e os filmes de terror vieram das mesmas fontes"

   14 de outubro de 2014     tags: vídeos, hammett, mill valley film festival      Comentários

O Metallica participou como artista da casa no 37o. Festival de Filmes de Mill Valley, que aconteceu durante os dias 2 e 12 de Outubro na cidade do norte da Califórnia. Cada um dos quatro membros da banda apresentou a exibição de um filme que foi escolhido pessoalmente para o evento.

Em 3 de Outubro, o guitarrista Kirk Hammett, um viciado em horror, apresentou o filme cult de 1971, "Dracula Vs. Frankenstein". Em 6 de Outubro, o baixista Robert Trujillo exibiu "Jaco", um documentário que ajudou a produzir sobre o baixista Jaco Pastorius. Já o baterista Lars Ulrich mostrou "Whiplash" em 7 de Outubro, uma produção independente sobre um aspirante a baterista e seu cruel professor que ganhou múltiplos prêmios no Sundance deste ano. Ulrich também entrevistou o diretor e escritor Damien Chazelle após o filme. O frontman do Metallica, James Hetfield, apresentou em 8 de Outubro o clássico "Três Homens em Conflito". A música tema do filme é usada como música de abertura dos shows da banda por décadas.

Falando sobre seu amor as coisas relacionadas ao horror e os paralelos entre filmes de terror e o heavy metal, Hammett disse durante sua sessão de perguntas e respostas (veja vídeo abaixo): "O heavy metal e os filmes de terror vieram das mesmas fontes, eles vieram das mesmas sementes, eles compartilham muitas imagens e assuntos. E para mim, parte do apelo dos filmes de terror está em entrar em contato com minha própria mortalidade, mas sem ter que pagar o preço disso. Ou, tipo, reviver uma morte ou algo sem ter que passar pela experiência de verdade. Te trazer ao ponto onde você talvez esteja no estado de medo, mas para o seu próprio prazer."

Ele continuou: "Assistir a um bom filme de terror faz minha adrenalina fluir. E para mim, é ótimo, é a experiência definitiva. Digo, algumas pessoas gostam de filmes de ação. Eu, eu gosto de filmes de terror."



Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Ulrich discute música e marcas

   13 de outubro de 2014     tags: entrevista, vídeos, ulrich      Comentários

Em 9 de Setembro, o baterista do Metallica, Lars Ulrich, falou sobre música e marca no estúdio da Billboard em Nova Iorque. Junto de Ulrich, participaram da discussão Steve Pamon, chefe de marketing de esportes e entretenimento da JPMorgan Chase; Jonathan Daniel da Crush Management, que gerencia as carreiras da Sia, Fall Out Boy e Train; Camille Hackney da Atlantic Records, que coordenou contratos de marca para Janelle Monae (Cover Girl, Sonos, American Express), Hunter Hayes (Pepsi, ConAgra Foods) e Charli XCX (Samsung, JBL); Patience Ramsey, da Translation, a agência de publicidade que ajudou a criar o festival Budweiser Made In America; e Jennifer Frommer, que ajudou em contratos milionários com a T-Mobile e a MasterCard no conglomerado SFX de música eletrônica. Assista ao vídeo da discussão em quatro partes abaixo.





Sobre o Metallica se tornar a primeira banda grande a tocar na Antártida, com a ajuda da Coca-Cola Zero:

Ulrich: "Uma coisa que o Metallica ama fazer, nós amamos ir a lugares inexplorados. Nós fomos a China no ano passado pela primeira vez. Nós tivemos a chance de ir para a Malásia no ano passado pela primeira vez. Ainda há fronteiras que talvez cinco, dez anos atrás não haviam infraestrutura para esse tipo de coisa que fazemos. Quando alguém disse, 'Antártida' - você precisa olhar para a Coca Zero e pode se sentir bem em levar isso para a cama. Então nós fizemos essa coisa para a Coca Zero que ajudou a facilitar esse evento em particular na Antártida, mas foi primariamente uma campanha para a América Latina. Isto não significa que nós iríamos para a cama com a Coca Zero nos Estados Unidos. Você precisa olhar para o cenário como um caso isolado."

Sobre o acordo do U2 com a Apple - estimado em 100 milhões de dólares e considerado o maior acordo de marca na história da música - funcionou:

"Eu acho que o U2 é o mais legal... É 2014 e qualquer um que pense fora da caixa, ou tenta fazer isso de alguma maneira ou forma, de quebrar o status quo do mundo da música, deve ser aplaudido. Para mim, não importa se é um empreendimento de sucesso ou não. É o fato de que eles tem a coragem e a visão de jogar algo tão radical assim em todos nós. Nós estamos presos em nosso processo criativo agora, e esse tipo de tentativa de reinventar a roda é imensamente inspirador para mim."

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Hetfield fala sobre Três Homens em Conflito

   11 de outubro de 2014     tags: hetfield, vídeos, mill valley film festival      Comentários



O Metallica participou como artista da casa no 37o. Festival de Filmes de Mill Valley, que acontece durante os dias 2 e 12 de Outubro na cidade do norte da Califórnia. Cada um dos quatro membros da banda apresentou a exibição de um filme que foi escolhido pessoalmente para o evento.

Em 3 de Outubro, o guitarrista Kirk Hammett, um viciado em horror, apresentou o filme cult de 1971, "Dracula Vs. Frankenstein". Em 6 de Outubro, o baixista Robert Trujillo exibiu "Jaco", um documentário que ajudou a produzir sobre o baixista Jaco Pastorius. Já o baterista Lars Ulrich mostrou "Whiplash" em 7 de Outubro, uma produção independente sobre um aspirante a baterista e seu cruel professor que ganhou múltiplos prêmios no Sundance deste ano. Ulrich também entrevistou o diretor e escritor Damien Chazelle após o filme.

O frontman do Metallica, James Hetfield, apresentou em 8 de Outubro o clássico "Três Homens em Conflito". A música tema do filme é usada como música de abertura dos shows da banda por décadas.

Falando sobre o filme, Hetfield disse durante sua sessão de perguntas e respostas: "Eu não me lembro de quando o vi pela primeira vez. Eu me tormei um fã de Clint Eastwood bem cedo, e este é um daqueles filmes que... [O personagem de Clint foi] um dos primeiros mentores na tela que eu meio que quis copiar... O cara duro, quieto e legal. Na verdade, eu me identifiquei com cada um dos personagens do filme - o feio, o bom e o mau. Sem me aprofundar muito, mas, sim, metaforicamente, todos nós temos isso na gente, todos nós temos o potencial de ser cada um deles."

Ele continuou: "O que eu gostei do filme, para mim, foi que cada um dos personagens tinha sua própria técnica de sobrevivência - como eles navegaram no deserto, a guerra, apenas lutando pela vida... Todos eles tinham sua própria forma de fazer as coisas. E, sabe, Clint era o mais legal."

Hetfield também falou sobre a "The Ecstasy of Gold", a música de "Três Homens em Conflito" que é usada pelo Metallica para abrir os shows desde 1983. "Há uma cena, 'The Ecstasy of Gold' - talvez todos vocês já tenham visto, talvez não - mas perto do final, algo acontece, e há um canhão e Clint... Nós meio que fizemos isso em nossos... Nós usamos a música de introdução deste filme desde 1984, possivelmente... 1983", disse ele.

"Nós tínhamos esta fita terrível de introdução que eram apenas batidas de coração e ficavam cada vez mais rápidas, e então nós entrávamos. E nosso primeiro empresário disse, 'isso é uma porcaria. Vocês podem fazer melhor do que isso'. Então ele nos tocou 'The Ecstasy of Gold', e aquilo foi uma das coisas mais legais que nosso primeiro empresário fez. [risos] Isso foi basicamente a única coisa que mantivemos dele, de conselhos."

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top

Biografia de Cliff Burton será lançada em breve no Brasil

   07 de outubro de 2014     tags: burton, livros      Comentários



A biografia "Cliff Burton - A vida e a morte do baixista do Metallica" será lançada em breve no Brasil pela Editora Gutemberg. A capa dele já pode ser conferida na imagem acima.

O livro conta a história do músico que pode não ter vivido para desfrutar dos momentos de glória, fama e fortuna experimentados pela banda, mas cuja sombra e legado até hoje podem ser sentidos no grupo.

A história do músico, morto aos 24 anos em setembro de 1986, em um acidente com o ônibus da banda, foi contada em detalhes pelo renomado Joel McIver, que já escreveu várias biografias dedicadas ao mundo do rock.

Neste livro, o inglês reconstrói toda a breve carreira do músico através de entrevistas feitas com pessoas que conheceram o baixista e material publicado na impressa na época em que ele esteve na banda.

O fato do prefácio do livro ter sido escrito pelo próprio Kirk Hammett - o guitarrista da banda que, por pouco, também não morreu no mesmo acidente - mostra que os integrantes do Metallica aprovaram o trabalho feito por McIver.

Fonte: Vagalume

    Top

Show em homenagem a veteranos de guerra dos EUA

   02 de outubro de 2014     tags: washington      Comentários

O site oficial do Metallica foi atualizado com a seguinte notícia, a respeito de um show que a banda realizará em homenagem ao Dia dos Veteranos nos Estados Unidos:

Nós estamos honrados em participar de um show inédito muito especial, saudando os veteranos dos EUA e suas família no National Mall em Washington D.C, neste Dia dos Veteranos, 11 de Novembro de 2014. O show irá ao ar nos canais americanos da HBO, com sinal aberto, permitindo que não assinantes também vejam este evento único.

Apresentado pela HBO e Starbucks, o show de três horas incluirá uma variedade de artistas, incluindo Bruce Springsteen, Eminem, Dave Grohl, Rihanna, Chris Rock, Jamie Foxx e Carrie Underwood, dentre outros. Além de homenagear os veteranos, o show servirá como evento beneficente, apoiando diversas organizações de serviços a veteranos, ajudando homens e mulheres que serviram com empregos, oportunidades de educação, saúde e bem estar, e integração de volta a vida civil.

Nós estamos animados em tocar para aqueles que se dedicaram tanto por outros, enquanto o holofote brilha nos mais de 20 milhões de veteranos americanos que serviram. Para mais informações e horários de transmissão locais, visitem http://www.theconcertforvalor.com/.

    Top

Scott Ian relembra demissão de Mustaine do Metallica

   02 de outubro de 2014     tags: mustaine, anthrax      Comentários

O guitarrista do Anthrax, Scott Ian, está prestes a lançar sua autobiografia, "I'm the Man: The Story of That Guy From Anthrax". Co-escrita por Jon Weiderhorn, o livro relembra, dentre outras histórias, a famosa demissão de Dave Mustaine do Metallica em 1983. Confira abaixo.

[i]Nós éramos todos amigos de bebedeira e eles faziam coisas estúpidas. Mas Dave era um pouco mais estúpido. E quando estava realmente bêbado, ele poderia ser um cuzão. No tardar da noite, ele despejaria pilhas de lixo na frente das portas das salas de ensaio das outras bandas, então quando elas apareciam no outro dia, a porta inteira estaria coberta com uma montanha de lixo. E eles sabiam que banda havia feito isso pois o Metallica era a única que dormia lá. Então todos esses músicos bateriam na porta do Metallica, querendo espancá-los.

Eu estava com eles em 9 de Abril de 1983, quando eles estavam tocando no L'Amour com Vanderberg e o The Rods. O Vanderberg estava no palco no meio da tarde, fazendo a passagem de som, e Mustaine já estava chapado. Ele estava no meio da pista do lugar, e assim que terminaram uma música, ele começou a gritar com eles, que eles eram uma merda e que deveriam cair fora do palco. Jonny Z [empresário do Anthrax/Metallica na época] o puxou para fora. Mas eu não acho que nada dessa merda foi o suficiente para o chutarem da banda. O cara é sem dúvida o padrinho do thrash metal. Ele escreveu muitos dos riffs que estão no Kill 'Em All e até alguns do Ride the Lightning. Sem Dave Mustaine, talvez o thrash metal nunca tivesse acontecido. Pelo menos no começo, ele era a força motriz, artisticamente.

Um ou dois dias depois, eu acordei, dirigi até o Music Building, vi Cliff do lado de fora, fumando. "E aí, o que conta?"

"Nada. O que tá rolando?", eu respondi, achando que era apenas mais um dia.

"Nada demais. Nós despedimos Dave. Ele está em um ônibus de volta para São Francisco."

Eu ri, porque Cliff era sempre sarcástico e brincalhão. "É, isso é engraçado", eu disse. "Olha, eu tenho que trabalhar no meu amplificador. Eu não estou muito feliz com o tom. Te vejo lá em cima."

"Eu estou falando sério", disse ele. "Vá lá em cima no quarto agora e fale com James e Lars."

Eu subi, olhei ao redor, e não vi o Dave em nenhum lugar. "O que está rolando?"

"Cliff não te contou?", disse James. "Sim, mas ele está mentido, né?". "Não, nós despedimos Dave esta manhã". Eu ainda achava que aquilo era impossível e eles estavam armando pra cima de mim. "Vocês estão falando sério?". "Estamos", disse Lars. Eu disse, "Caralho. Vocês tem shows em breve e estão fazendo um disco mês que vem. Jonny Z sabe disso?". "Sim, nós contamos para ele alguns dias atrás", continuou Lars. "Nós o fizemos prometer que não falaria nada. Nós não queríamos que Dave descobrisse. Nós não sabíamos o que ele faria."

Eles tinham toda a operação planejada com a precisão de um ataque aéreo. Acabou que o show no L'Amour com o The Rods foi o último show de Dave. Eles compraram uma passagem só de volta para Los Angeles e esperaram por uma noite que Dave ficasse realmente bêbado, o que eles sabiam que não demoraria. Havia uma estação de ônibus quase do lado do Music Building, eles o acordaram enquanto ainda estava incoerente e o despediram. Eles desmaiou em suas roupas, então eles não precisaram ajudar a vestí-lo. Eles só pegaram suas coisas, o que eles já tinham empacotado em uma bolsa, e literalmente o colocaram em um ônibus antes que ele entendesse o que estava acontecendo. Então eles fizeram os planos de enviar seu equipamento.

Eu estava lá de queixo caído, sem fala, e Cliff voltou. "Viu, eu te falei", disse ele.

"Bem, o que vocês vão fazer sobre os shows e o disco?"

"Nós temos um cara vindo de uma banda de São Francisco, Exodus", disse Lars. "Ele está voando para cá e se juntará a banda. Ele já sabe a maioria das músicas, e ele está aprendendo os leads."

Mais trechos da biografia podem ser lidos, em inglês, clicando aqui.

Fonte (em inglês): Loudwire

    Top

Ulrich: Inspirado com a aparição forçada de novo álbum do U2

   30 de setembro de 2014     tags: u2, ulrich, entrevista      Comentários

O baterista do Metallica, Lars Ulrich, comentou sobre a decisão do U2 de fazer parceria com a Apple para colocar o novo álbum da banda, “Songs Of Innocence”, em toda conta do iTunes, quer queiram ou não.

Falando com a Billboard, Ulrich disse: “Eu acho o U2 os mais legais...”

“É 2014 e se alguém ainda pensa fora da caixa, ou tenta fazer isso de qualquer maneira ou forma, quebrar o status quo do mundo da música, eles devem ser aplaudidos.”

“Para mim, não importa se é um empreendimento de sucesso ou não. É o fato de que eles tem a coragem e a visão de jogar algo tão radical assim em todos nós.”

“Nós estamos presos em nosso processo criativo agora, e esse tipo de tentativa de reinventar a roda é imensamente inspirador para mim.”

33 milhões, das 500 milhões das contas do iTunes em todo o mundo, receberam o álbum do U2, mas atendendo a pedidos, a Apple liberou um tutorial e uma ferramenta de como remover o CD.

Fonte: Whiplash!

    Top

Ulrich: "Oasis é a trilha sonora da minha vida"

   30 de setembro de 2014     tags: ulrich, oasis      Comentários

Já se vão cinco anos desde o marcante show em Paris, em 2009, que nunca aconteceu, pois antes, nos bastidores, Liam e Noel Gallagher entravam em uma nova (e definitiva) briga que acabaria com o ciclo do Oasis, 18 anos após seu nascimento.

Mesmo assim, o grupo, que, em sua formação mais marcante, contava, ainda, com Bonehead, Paul "Guigsey" McGuigan e Alan White, deixou uma legião de fãs, que até hoje seguem sonhado com um retorno da banda. Entre eles, está Lars Ulrich, baterista do Metallica.

Em entrevista ao The Guardian, o músico falou sobre sua relação com o Oasis. "Tem sido a trilha sonora de minha vida nos últimos 20 anos nesse maravilhoso mundo. Eu tenho imagens e histórias em minha cabeça que caminham ao lado de tudo, desde a primeira vez em que ouvi uma música deles, até artigos que li e shows que escutei em festivais", disse ele.

Em uma dessas histórias, Lars lembrou de uma vez em que foi auxiliar de equipamento do grupo, em 1994, durante um show em New Jersey. "Eles não tinham um cara na equipe de roadies para operar as luzes do palco, e eu era o único na casa que sabia todas as canções", recordou.

Fonte: Terra

    Top

Ulrich: Se perguntar sobre o que o fã quer é uma causa perdida

   29 de setembro de 2014     tags: entrevista, ulrich      Comentários



O baterista do Metallica, Lars Ulrich, disse que a banda não está preocupada com o feedback negativo que recebeu pelas escolhas não usuais de sua carreira, explicando que tentar constantemente novas coisas é o que mantém o Metallica revigorado e excitante, mais de 30 anos desde a sua criação.

O Metallica, que já vendeu mais de 110 milhões de discos no mundo em sua carreira, tem sido elogiado e criticado por buscar diversos projetos que nunca foram feitos por uma banda de metal anteriormente, como a influente colaboração de 1999 com a San Francisco Symphony (documentado no CD/DVD "S&M"), o disco "Lulu" de 2011 (uma parceria com Lou Reed que muitos consideram como um dos piores álbuns já feitos) e o revelador documentário "Some Kind of Monster" de 2004.

Perguntado se há algo fora de discussão para uma banda como o Metallica, Ulrich disse a revista Billboard: "Cada vez mais, absolutos não desempenham um papel. No minuto que temos uma conversa sobre 'o que o fã quer?', nós paramos, pois é uma causa perdida. Se você colocar 20 fãs do Metallica nesta mesa, eles te falarão 20 coisas diferentes. Nós desviamos nossa conversa para dentro: 'com o que estamos confortáveis? É algo que nós achamos que podemos deixar para trás?'. Não é sobre se vender, mas se está vendendo nossas almas. Quando você se deita na cama toda noite, se pergunta, 'eu me sinto bem com as escolhas que fiz?'"

Fonte (em inglês): Blabbermouth.net

    Top



Newsletter
Receba em seu e-mail as últimas notícias sobre Metallica:

Conecte-se

Facebook   Google+   Twitter   RSS   Fórum

© 1998-2014 Metallica Remains - Desde 13 de Janeiro de 1998 | Política de Privacidade